LIDE Rio Preto realiza 1° Encontro de Saúde e Bem-Estar

Foto Divulgação

O 1° Encontro de Saúde e Bem-Estar foi realizado nesta quinta-feira (13), em Rio Preto. O evento, organizado pelo LIDE (Grupo de Líderes Empresariais), ocorreu no Ipê Park Hotel e reuniu cerca de 200 empresários do setor da saúde, convidados e filiados do LIDE Rio Preto. Na ocasião, foram debatidos os principais avanços em saúde, qualidade de vida e longevidade. As discussões visaram propor iniciativas para melhorar o bem-estar da população do noroeste paulista.

“Nós tínhamos a responsabilidade de provocar o noroeste paulista, agregando mais conhecimento, valores e a integração. Aqui, nós pegamos um dos temas mais polêmicos do momento que é a gestão dos planos de saúde das empresas. Hoje, a saúde é o segundo ou o terceiro maior custo das empresas, pois elas não conseguem enxergar saúde como um negócio, pelo contrário, elas veem a saúde como um custo. Assim, não fazem a gestão correta dos indicadores. O nosso desafio foi trazer esse conhecimento a todos.”, comenta Marcos Scaldelai, presidente da LIDE Rio Preto.

Um dos assuntos que tiveram destaque no evento foi a importância da prevenção e cuidados com relação à saúde de colaboradores das empresas. “Eu acho que saúde e bem-estar estão totalmente ligados a você ter recursos. Recursos para fazer a prevenção através da educação, da nutrição e recurso para o tratamento, quando houver doença. O grande desafio não é tratar a doença, mas propor investimentos na área da prevenção e é o que o evento deixou claro”, comenta Alexandro Bossan, sócio-diretor da marketing do Sibrare (Sistema Brasileiro de Receituários).

Outros assuntos que fizeram parte das discussões foram a criação do SUS, a redução das desigualdades no acesso à saúde e os investimentos para cuidar da saúde dos brasileiros, temas debatidos pelo coordenador do núcleo do Ministério de Saúde, José Carlos Paludeto.
Representantes da Unimed também participaram do evento e na ocasião discutiram a importância do encontro. “Este evento não é importante só para o setor público, operadora de saúde e governo, mas especialmente para a sociedade. Enquanto a sociedade não tiver noção dessa situação que ocorre ela vai ser, com certeza, a maior prejudicada. Eu acho que a proteção tanto da operadora de saúde, que contribuiu com uma parcela bastante importante da população, quanto do sistema único de saúde, que é uma realidade, um exemplo mundial, eu acho que passa necessariamente para a questão das sustentabilidades desses dois setores”, diz Helencar Ignácio, presidente da Unimed Rio Preto. Conteúdo Especial: Leandro BRITO

 

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS