Licitação do patrocínio do Carnaval de rua de Rio Preto não tem interessados

Prefeitura descarta desfile por falta de patrocinadores. Divulgação SMCS

Nenhuma empresa apareceu para concorrer à licitação do Carnaval de rua de Rio Preto até as 17h desta sexta-feira (10), prazo que as empresas tinham para participar da chamada pública.
O secretário de Desenvolvimento Econômico e Negócios de Turismo, Jorge Luis de Souza, afirmou que na próxima semana será analisada uma nova medida para realização do evento.
“Não teve nenhuma empresa que apresentou proposta para o desfile de rua, então a gente vai fazer um outro tipo de evento e isso vamos decidir na próxima semana”, explicou.
Souza ponderou ainda que “infelizmente, desfile de escola de samba a gente não vai ter, porque dependia desse chamamento das empresas interessadas, então como não teve, a gente não vai realizar o desfile de rua com o recurso público, mas vamos ver outras alternativas para o Carnaval”.
Sobre o assunto, o presidente da escola de samba Imperatriz, Sergio Parada, parafraseou com a música Comida da banda Titãs. “A gente não quer só comida. A gente quer comida, diversão e arte. A gente não quer só comida, a gente quer saída para qualquer parte. Então cabe ao poder público responder por todo encaminhamento que foi feito até agora, porque tudo isso foi feito no âmbito do governo, nossa discussão começou em março e esse foi o desfecho. Então cabe ao poder público uma resposta de um processo de cultura popular que precisa sim da tutela do estado e do município”, opinou Parada.
O presidente da Império do Sol, Vicente Serrone, lamentou o ocorrido, mas afirmou que se compromete em realizar o Carnaval em nome das escolas.
“É uma pena que não tenha aparecido ninguém porque era uma esperança nossa esse novo formato de Carnaval para que realmente a tradição perdurasse. A gente não quer que não tenha Carnaval. Então eu já tinha um projeto caso isso acontecesse, a gente gostaria de assumir a organização do Carnaval desde que a gente conte com o apoio do poder público, as escolas tiveram a premiação do Nelson Seixas que não era para desfile de Carnaval, era para realizar os projeto de mão de obra, de oficinas culturais que foi o que a gente fez, mas fizemos em cima dos enredos que as escolas gostariam de apresentar agora, em 2020”, disse.
E Serrone concluiu que “a gente está preparado para isso, então como não apareceu e alguém para organizar o Carnava , as escolas querem que aconteça o Carnaval e, em último caso, assumimos a organização”.

Por – Mariane DIAS – [email protected]

SEM COMENTÁRIOS