Levantamento inédito aponta que a renda média do comércio rio-pretense aumentou 2,5% neste ano

Foi inaugurado na manhã de ontem, o Centro de Estudos Econômicos da Acirp – Associação Comercial Empresarial de Rio Preto, com a proposta de desenvolver pesquisas, alguns estudos de mercado e indicadores econômicos que possam gerar inteligência e orientações direcionadas ao gerenciamento de negócios aqui na cidade.

Uma parceria que envolve o Centro de Estudos e Pesquisas do Varejo (CEPEV), órgão ligado à Universidade de São Paulo (USP). Outra parte responsável pelo projeto, além da Acirp, ficou a cargo da Unirp, coordenada pelo professor, economista e doutor, Ary Ramos da Silva Júnior. “Nosso trabalho foi centrado numa metodologia aonde fizemos um levantamento de toda a estrutura da cidade, então, uma base cientifica bastante forte”, diz Junior.

Na cerimônia de abertura realizada no Centro de Convenções da Associação, que reuniu empresários de alguns setores do comercio varejista, Secretaria Desenvolvimento Econômico, presidente da Acirp, Paulo Sader e docentes. Alguns dados da primeira recém elaborada pesquisa, em destaque, foram divulgadas algumas taxas referentes a intenção de compra, pelos consumidores em 12 categorias, cama, mesa e banho, móveis, eletro portáteis, decoração e vestuário, sendo este último mais que dobrou, 49%, em relação as demais analisadas. “É uma honra inenarrável estar aqui nesse dia representando a Associação Comercial, semeando o futuro de São José do Rio Preto e qualidade do serviço prestado”, afirma o presidente da Acirp.

No trimestre deste ano, que vai de julho a setembro foi apontado um leve crescimento, 2,5%, da renda média do comércio comparado ao mesmo período do ano passado. O professor doutor e administrador de empresa, Marcos Luppe, explica que 60% do Produto Interno Bruto (PIB) é formado pelas famílias brasileiras. “Qualquer situação que a gente tenha vivido nos últimos três anos é muito complicada, tudo indica que esse Natal ai vai ser melhor do que os anteriores.”

Apesar do alto desemprego e também a inflação, a pesquisa mostra que de janeiro de 2013 a setembro de 2017, houve queda da inadimplência, 5,3% para 3,8% respectivamente. Índice de confiança aumentou num período que vai de outubro de 2015, antes era -70%, subiu para 83,7% em outubro deste ano.

Também auxiliaram na construção do departamento, dois professores mestres e doutores, em administração da Faculdade de Administração (FEA/USP), Francisco Alvarez e Marcos Luppe.

O setor de vendas de materiais de construção apresentou menores taxas na intenção de compras pelos clientes, seguido por automóveis. Entre 12 setores varejistas analisados pelo grupo de trabalho, material de construção e roupas são os mais vendidos no município. “Essa pesquisa mostrou a presença forte do varejo local em diversos setores, principalmente no segmento de moveis”, afirma o docente Alvarez.

saiba mais

Em relação a outras pesquisas com o mesmo tema, Rio Preto, se destaca com taxas bem positivas. “Uma das grandes dificuldades em aferir indicies de intenção de compra e aceitação de parte dos empresários em entregar essas informações”, diz Francisco.
A descoberta teve a participação de 60 alunos de graduação, eles foram a campo fazer as entrevistas por meio de um questionário, num intervalo de mais de 400 horas de atividades, entre 5 até 18 do mês passado. Eles visitaram 5 locais de grande movimentação de pessoas, Shoppings Centers, Faculdade e uma Escola Técnica de Rio Preto.

 

Da Redação
Colaborou: Guilherme Ramos

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS