Laudo aponta que incêndio em asilo foi provocado por ação humana

O laudo pericial que investiga a morte de um idoso, de 63 anos, no Lar São Vicente de Paulo apontou que o incêndio ocorrido no dia 21 de agosto foi provocado por ação humana e não por curto-circuito. O documento chegou até o 3° Distrito Policial nesta segunda-feira, dia 23.

A suspeita de curto circuito foi descartada após as câmeras de monitoramento registraram o momento em que o João Batista Pereira de Carvalho, de 63 anos, ateia fogo no lençol que o amarrava na poltrona em que estava sentado. A Polícia Civil investiga se a atitude dele foi para se soltar do móvel ou um atentado contra a própria vida.

Dhoje Interior

De acordo com o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), o procedimento realizado no idoso por funcionárias do lar é comum, adotado em casos em que o paciente não consegue se manter sozinho sentado. De acordo com funcionários, ele estava sentado na poltrona que fica em um corredor externo, destinado para área de fumantes.

O delegado responsável pelo inquérito, Renato Pupo, também investiga se o procedimento estava de acordo com as normas do Cofen.

No dia do incêndio, 47 internos precisaram ser transferidos de ala. Duas enfermeiras que trabalhavam no local foram levadas para uma Unidade de Pronto Atendimento depois de inalarem fumaça.

As chamas foram controladas pelo Corpo de Bombeiros rapidamente e não se espalharam, porém, o idoso não resistiu e morreu no local.

Vinicius LOPES