Lar de Fátima ganha nova identidade visual

O Lar de Fátima está de cara nova. A fachada do imóvel foi totalmente reformada e ganhou novas cores e formas graças ao trabalho de dois grafiteiros da região. Durante sete dias, os profissionais empregaram suas técnicas e abusaram da criatividade e também do colorido. Os dois desenhos da fachada agora dão nova cara e imagem a instituição, que cuida de crianças e adolescentes.

Para apresentar à população as novidades do local, o Lar de Fátima promoveu uma festa no último domingo (8), na qual reuniu cerca de duas mil pessoas. O evento contou com várias atrações como: abertura com a orquestra da Polícia Militar, apresentações das crianças vinculadas ao projeto e a ilustre presença de uma tribo nativa indígena, que pela primeira vez esteve em Rio Preto.

Ricardo Sanches, coordenador do local, nos contou que a reforma era um sonho antigo, teve duração de uma semana e para o grafite contou com os artistas: Rafael Cubone da cidade de Tanabi e Leonardo César Francischinetti também conhecido como Leo Guinomo de Mirassol. Do lado esquerdo da faixada, a arte é de uma bailarina, soltando uma pomba branca e ao lado esquerdo o desenho é de animais que tem como simbologia a sabedoria.

“Resolvemos deixar a fachada colorida para quem olhar ter a percepção que trabalhamos com crianças, a bailarina e a pomba significa a arte e a paz, já os animais que são: Urso Panda, elefante e a coruja, foram feitos para simbolizar a sabedoria”, contou Ricardo.

A Escola Lar de Fátima, hoje com 95 anos, foi o primeiro orfanato e creche na cidade, sendo que atualmente atende até 900 crianças por dia. A creche recebe crianças de 0 a 3 anos em período integral e o projeto que atende crianças entre 6 e 15 anos, funciona no contraturno escolar. Além da matriz, há mais quatro núcleos do projeto que possuem atividades como: capoeira, teatro, arte circense, informática e musica, tudo de forma gratuita para a população, o trabalho também contém aulas de ética e cidadania, para auxiliar crianças em situação de vulnerabilidade social.

A renda que mantém o Lar provém da assistência social e de eventos como feiras de artesanatos e brechó, que é o carro chefe econômico da instituição. O brechó do Lar de Fátima vende roupas, sapatos, acessórios, brinquedos entre outros e conta com preços bastante acessíveis, que variam de R$ 2 a R$ 10. O horário de funcionamento é toda quinta-feira das 9:00 às 14:00 hrs.

A escola que tem cerca de 100 funcionários, trabalha com assistentes sociais, professores, psicólogos, monitoras e também com voluntários, que hoje são cerca de 15, o Lar também recebe doações mensais ou variadas como: computadores, roupas, cestas básicas entre outros. Quem quiser ser um voluntário basta ir até a Escola Lar de Fátima que fica na Rua Fernão Dias Paes Leme, 360 no bairro Vila Maceno ou entrar em contato pelo 3224-6432 e fazer seu cadastro. (Colaboração: Thais Lobato)

 

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS