Justiça inaugura novo Fórum Cível em Rio Preto

Foto: Guilherme Ramos

O Tribunal de Justiça de São Paulo inaugurou o novo Fórum Cível de Rio Preto, na tarde de segunda-feira (25). O prédio fica na Rua Tupi, 365, no bairro Chácara Municipal.

Entre os participantes da cerimônia estavam juízes, delegados, o prefeito Edinho Araújo (MDB) e o deputado estadual Orlando Bolçone (PSB).

Com mais de 5 mil metros quadrados de área, o local abrigará uma Vara do Juizado Especial Cível (JEC), duas Varas de Família e Sucessões e uma Vara da Infância e Juventude, além do Setor Técnico – Psicossocial. “Por tais juízos processarem e decidirem as questões mais sensíveis de interesse da comunidade, de evidente importância para os cidadãos rio-pretenses, é popularmente denominado de ‘Fórum da Cidadania’”, afirmou o juiz diretor do fórum, Paulo Marcos Vieira.

Os prédios dos Fóruns Cível e Criminal serão mantidos nos seus respectivos endereços. A Secretaria Estadual de Justiça e de Defesa da Cidadania, responsável pela construção do edifício, entregou o prédio para o TJSP em 27 de dezembro do ano passado. De lá para cá foram realizados serviços necessários para viabilizar o funcionamento da Justiça no local, entre eles a aquisição e instalação de equipamentos de rede lógica; instalação de divisórias e estantes; cabeamento; aparelhos telefônicos; contratação de serviços de segurança patrimonial e limpeza.

“Para nós ainda existem obras que devem ser complementadas, como a acessibilidade. O pessoal entregou a obra com o aviso de que havia necessidade de complementação. Logo depois, o país entrou em uma crise econômica gigantesca e não houve condições de resolver todos os problemas. Vou deixar bem claro que estamos em licitação para uma série de obras para a obtenção do habite-se”, disse o presidente do TJSP, o desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças.

Em maio deste ano, na Comarca de Rio Preto existem 370.225 ações em andamento. Apenas no mês de maio deste ano, foram recebidos 4.105 novos processos. A cidade é sede da 8ª Região Administrativa Judiciária, que tem Evandro Pelarin como juiz diretor.

Por Bia MENEGILDO