Jovem pega ‘rabeira’ e morre atropelado por trem

Homem morreu após ser atropelado por trem, no Centro de Rio Preto. Concessionária confirmou que a vítima pegou rabeira (Foto:

Um homem morreu atropelado por um trem, no início da tarde de ontem (12/6), no Centro de Rio Preto. O incidente aconteceu próximo à rua Bernardino de Campos, na esquina do Terminal Rodoviário, onde está a cancela. A área ficou interditada por cerca de 40 minutos.
Segundo informações do boletim de ocorrência, após ser informado por um popular de que havia um homem preso debaixo de uma das rodas da composição férrea, o zelador que cuida da segurança do local sinalizou para que o maquinista freasse a locomotiva, que seguia sentido interior/litoral.

A vítima é um homem magro, branco e aparenta ter entre 20 e 30 anos de idade. Ainda de acordo com o registro policial, não foi possível identificar o homem porque ele não carregava os documentos pessoais.

Ele foi encontrado sem as calças e sapatos e parte da cabeça dele foi arrancada com o impacto do acidente.

“Trabalhamos com duas suspeitas. A primeira é de que ele tenha pegado rabeira, se desequilibrado e caído. A segunda é de que tenha sido atropelado. Ainda não podemos confirmar”, afirmou o tenente do Corpo de Bombeiros Alexandre Neto.

Uma terceira hipótese, a de suicídio, já teria sido descartada. A Polícia Civil e a perícia técnica estiveram no local, e o caso será investigado. O corpo da vítima foi encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal) da cidade.

A assessoria de imprensa da Rumo Logística, concessionária que administra a linha férrea, confirmou, por meio de nota, que o homem foi atropelado após pegar carona no trem. “A concessionária informa que um homem foi atropelado nesta quarta-feira (12), por volta das 14h20, em São José do Rio Preto, ao pegar carona em um trem. Esta é uma atividade irregular, com risco de morte. A empresa realiza campanhas de segurança e conscientização com o objetivo de combater essa prática ilegal e principalmente alertar sobre os riscos do surfe ferroviário. Equipes de vigilância realizam rondas em todo trecho ferroviário com o intuito de coibir atos como este. Ao identificar algum fator de risco ou irregularidade, a comunidade pode entrar em contato com a concessionária por meio do telefone 0800 701 2255”.

Até o fechamento desta matéria, nenhum familiar da vítima havia procurado o IML para fazer o reconhecimento.

Por Karolina GRANCHI 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS