Jovem é torturada e morta em Rio Preto

Paulo Adriano Ito, 34, morador no bairro São Judas Tadeu, está sendo procurado pela polícia pelo homicídio da jovem Jully Anne Esteban Martins, 19, que residia na Caic. A jovem foi assassinada com requintes de crueldade e seu corpo encontrado na casa do acusado, em adiantado estado de decomposição na tarde desta quinta-feira.

Ela estava desaparecida desde a noite da última segunda-feira quando saiu para ir se encontrar com Ito, conhecido como Paulinho, de quem esperava ganhar um telefone celular.

A avó de Jully, a aposentada Ivone Leite Esteban, 69, ligou para a neta na noite do seu sumiço e não conseguiu contato com ela. A amiga B.G.O., 20, e familiares também tentaram falar com a jovem, sem sucesso. Os telefonemas não foram atendidos e as mensagens em aplicativo não chegaram a ser visualizadas.

Ao voltar do trabalho, na tarde desta quinta-feira, o autônomo C.A.L.L.,27, morador na Caic, ouviu de conhecidos que uma mulher havia sido encontrada morta na casa de Paulinho. Suspeitando que se tratava de Jully foi até a casa dela e acompanhado da avó materna e de B. procuraram a Central de Flagrantes para irem até o Instituto Médico Legal (IML) fazer o reconhecimento do corpo.

Devido ao avançado estado de decomposição do cadáver, o reconhecimento foi possível graças às tatuagens, acessórios e roupas da vítima. O médico legista Luiz Furtado informou que foi retirado da garganta da jovem uma camiseta vermelha totalmente enfiada dentro da sua boca. Um tufo de papel foi encontrado no interior do órgão sexual da vítima, que teve seus braços e pernas amarrados com cadarços de tênis, além da boca amordaçada com sacos plásticos.

  1. relatou à polícia que o envolvimento entre Jully e Paulinho era recente, inferior a um mês, e que o procurado era “uma pessoa estranha, carente, que ameaçava se matar se ela não se encontrasse mais com ele”.

 

O autônomo disse ainda que o foragido estava apaixonado pela garota de programa, por quem demonstrava obsessão. Segundo L., Paulinho tem parentes na Grande São Paulo, para onde pode ter viajado.

Por Daniele JAMMAL

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS