Jovem é encontrada morta com mãos e pés amarrados

Foto Arquivo Pessoal

Jully Ane Esteban Martins estava desaparecida desde a última segunda-feira, dia 26. Enterro foi marcado por homenagens e muita revolta

Foi enterrada no final da manhã de ontem, a estudante de 19 anos, Jully Ane Esteban Martins. A jovem foi encontrada, já em estado avançado de decomposição, em um apartamento no bairro São Judas Tadeu.

De acordo com o delegado Renato Pupo, que responde pelo caso durante férias do Dr. Alceu Júnior, da DIG, a jovem tentava se afastar do suspeito do crime. “Tudo leva a crer que o autor do crime tenha sido o morador da casa onde a vítima foi encontrada, Paulo Adriano Ito, 34 anos. Os dois mantinham um caso amoroso, mas Paulinho, como era conhecido, teria se apaixonado por Jully Ane, que não queria mais contato com o acusado”, explica o delegado.

A estudante teria saído de casa na segunda, dia 26, para encontrar Paulinho, que prometeu um celular de presente para a garota. Antes de sair de casa, Jully Ane combinou com a avó, Ivone Leite Esteban, 69 anos, que ligasse para ela voltar pra casa, mas a ligação não foi possível.

“Ela não queria mais nada com ele. Combinamos a ligação para que ela voltasse logo pra casa. Infelizmente, quando tentei falar com ela, o celular já estava desligado”, relatou a avó da jovem.

O tio da garota, Cássio Esteban não se conforma com o crime. “Ele morava a poucos metros da casa de minha mãe. Jamais imaginávamos que ele tivesse a coragem de matar minha sobrinha, ainda mais com tanta violência. Só o que pedimos é justiça”, desabafou o familiar.

Jully Ane era uma menina alegre e tinha muitos sonhos. Cursando o 3º ano do ensino médio pelo EJA, Educação de Jovens e Adultos na Escola Estadual Leonor da Silva Carramona a menina fez muito amigos e, vai deixar saudades.

“Imaginar o que ela passou é impossível. Não há motivos para que alguém tire a vida do outro, ainda mais com tanta brutalidade. Vai ser difícil imaginar nossos dias sem as nossas conversas, sem nossas risadas e sem a alegria da “Ju”, desabafa Gabriela Martins.

Jully Ane foi encontrada com as mãos e os pés amarrados com cadarços de tênis, um saco preto na cabeça e uma camiseta inteira dentro da boca. Além disso, o médico legista que esteve no local, confirmou que haviam pedaços de papel higiênico nas partes íntimas da vítima.

O principal suspeito do crime, Paulinho, continua foragido. “Mesmo estando de férias, Dr. Alceu esteve no local onde o corpo foi encontrado e está contribuindo com o caso. Acredito que a Polícia Civil vai chegar até ele nos próximos dias. Se ele estiver lendo essa matéria, peço a ele que se entregue. Caso ele não faça isso, nós iremos encontra-lo”, concluiu Renato Pupo.

Por Jaqueline BARROS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS