Jovem é assassinado em festa universitária

Foto Reprodução

Depois de discussão que envolveu cinco pessoas durante festa universitária organizada por alunos do curso de medicina veterinária, em Rio Preto, três jovens foram esfaqueados. Entre eles, um rapaz de 25 anos não resistiu aos vários golpes que levou e morreu ainda no local. Os dois suspeitos de terem praticado as agressões que resultaram na morte do rapaz estão sendo procurados para serem ouvidos

Um jovem de 25 foi esfaqueado e morreu em uma festa universitária na madrugada desta quinta-feira (25), no Jardim Alto Alegre, em Rio Preto. Outros dois estudantes também foram atingidos por golpes de faca.

Dhoje Interior

De acordo com o boletim de ocorrência, Felipe Augusto Horta de Oliveira, 25 anos, participava de uma festa de estudantes da faculdade de medicina veterinária com mais dois amigos, ambos com 21 anos.

Em determinado momento, o trio teria tido um desentendimento com outros dois homens que também estavam na festa.
Ainda segundo a ocorrência, “encaradas“ teriam sido o motivo da briga. Horas depois, a dupla teria feito sinais para que as vítimas saíssem da casa, “chamando pra briga“.
Ao saírem da residência, um dos acusados, segundo testemunhas relataram aos policias, partiu pra cima do trio com uma faca que havia buscado no carro dele. Felipe não resistiu aos ferimentos e morreu no local. A morte foi confirmada por volta de meia noite e quarenta e cinco minutos.

Uma outra vítima, também estudante de medicina veterinária, 21 anos, precisou ser socorrida até o Hospital de Base devido à gravidade dos ferimentos. O outro estudante, também de 21 anos, foi atingido no braço esquerdo e recebeu os primeiros socorros ainda no local.

Os dois suspeitos, identificados como sendo João Victor Dini Freitas, morador de Barretos, e Yuri Cunha Sales Souza, de Pontes e Lacerda (MG), fugiram do local do crime e ainda estão desaparecidos. Um carro com placas de Pontes e Lacerda (MT), apontado pelas testemunhas como sendo do suspeito de assassinar Felipe foi apreendido pela polícia.

DIG investiga o caso
O delegado Wander Solgon, da Delegacia de Investigações Gerais de Rio Preto que está à frente das investigações, afirmou que os envolvidos na briga que resultou na morte de Felipe não se conheciam.

“Os envolvidos não se conheciam. Ainda não sabemos o que motivou a briga. Já ouvimos várias testemunhas, amigos diretos deles e estamos investigando“, explicou.
Ainda de acordo com o delegado, os acusados não estão em situação de flagrantes e nem são considerados como foragidos. “Estamos procurando para ouvi-los. Precisamos da versão deles para esclarecer os fatos“, pontuou.

As outras duas vítimas que também foram esfaqueados ainda não prestaram depoimento.

 

Por Thais COVRE