Jales: Pastor é preso nove anos após estupro

Um pastor de 56 anos  foi preso na tarde da sexta-feira (9), em Itapevi, condenado em 2ª instância a 8 anos e 7 meses de prisão por um estupro ocorrido em 2008, em Jales. Na ocasião, o pastor molestou uma menina de 14 anos que frequentava sua igreja.

Segundo a Polícia Civil, após diligências em São Paulo e Mogi das Cruzes, o réu foi localizado na cidade de Itapevi, onde residia atualmente. Após a prisão, o homem foi encaminhado ao Plantão Policial da cidade para registro da ocorrência.

O pastor deixou a cidade de Jales com a família na época do caso e além do estupro, ele já havia sido condenado por tráfico de drogas.  Em 2010, no julgamento em primeira instância, ele foi absolvido pelo juiz José Pedro Curitiba após alegar que a menina havia inventado o caso pois tinha rompido o namoro com seu filho. O Ministério Público Estadual recorreu da sentença e agora conseguiu reverter a decisão no TJ por unanimidade.

No acórdão, o relator Farto Salles afirma que o acusado aproveitou-se das necessidades econômicas que a família da vítima passava – além de frequentar a igreja mãe e filha prestavam serviços domésticos na casa do pastor – para abusar da garota.

O acórdão confirma ainda que, embora não tenha havia conjunção carnal, em três ocasiões o réu tentou abusar da vítima e em duas delas chegou a tocar seus órgãos íntimos. A ação traz ainda o depoimentos de outras duas testemunhas que confirmaram terem sido assediados pela pastor.

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS