Jair Bolsonaro toma posse como presidente do Brasil

Com um inédito sistema de segurança na Esplanada dos Ministérios, Jair Bolsonaro (PSL) tomará posse como presidente no primeiro dia do ano de 2019. A posse será feita em quatro etapas, começando à tarde com um culto ecumênico na Catedral de Brasília, e se encerra por volta das 21 horas, no Palácio do Itamaraty.

A cerimônia vai ser extensa e começa por volta das 14 horas, quando Bolsonaro ao lado da futura primeira-dama Michelle Bolsonaro, deixarão a Granja do Torto rumo à Esplanada dos Ministérios. Pouco depois das 14h30, o presidente eleito e a primeira dama devem trocar de carro em frente à Catedral. Tradicionalmente, o desfile é feito em carro aberto, um Rolls-Royce, mas ainda não está definido se o percurso será feito nele ou em carro blindado.

Pelo cronograma, o desfile do cortejo presidencial da Catedral até o Congresso ocorrerá às 14h45, com previsão de início da sessão solene de posse no Plenário da Câmara dos Deputados às 15 horas. No Legislativo, ocorre o juramento e um discurso do eleito que, na sequência segue para o Palácio do Planalto para receber a faixa do atual presidente da República, Michel Temer (MDB).

Empossados, Bolsonaro e o vice-presidente Antonio Hamilton Martins Mourão descerão a rampa do Congresso Nacional para uma revista nas tropas das Forças Armadas e serão homenageados com tiros de canhão. Este é o momento que poderá ser acompanhado pela população presente na Esplanada dos Ministérios. Segundo o Palácio do Planalto, a expectativa é que entre 250 e 500 mil pessoas acompanhem a posse.

Às 17h30, o presidente ingressa no Palácio do Planalto para a cerimônia de nomeação de seus ministros no Salão Nobre do edifício, que deve durar outros 45 minutos. Está prevista para as 18h15 o registro da foto oficial de Bolsonaro e Mourão com os 22 ministros indicados para compor o governo.

A previsão é que por volta das 19 horas, Bolsonaro siga em cortejo para o Itamaraty. A recepção deve seguir até 21 horas, na sede da diplomacia brasileira.

Segurança

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal classifica a operação do dia da posse como o maior esquema de segurança já montado para um evento do tipo em Brasília. Foram escalados para atuar na posse mais de 3,2 mil policiais militares, civis, federais e bombeiros, além de integrantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica.

O atual ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, disse que os preparativos para a cerimônia estão prontos e que não houve grandes alterações em relação ao previsto no primeiro ensaio. “A festa está pronta, será segura e certamente vamos ter um dia primeiro para coroar o processo democrático que se iniciou lá atrás no primeiro turno das eleições no dia 7 de outubro”, disse o ministro.

Da REDAÇÃO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS