Já parou para pensar no crescimento do seu filho?

Foto Arquivo PESSOAL

Na infância, uma das grandes preocupações de quem tem filho é a alimentação. Geralmente, em algumas fases da vida, os pequenos rejeitam alimentos saudáveis. No entanto, a alimentação representa apenas um dos fatores que os pais precisam ficar atentos. O que muito não se dão conta e requer uma atenção é com o desenvolvimento das crianças. Problemas como o crescimento podem significar um comprometimento da saúde. Para auxiliar nessa questão, existe uma especialidade dentro da pediatria, a puericultura.

O ortopedista pediátrico Felippi Cordeiro, do Grupo São Cristóvão Saúde, orienta que a melhor forma de saber se o crescimento da criança está de acordo com a idade é consultar um especialista. “O acompanhamento periódico com pediatra é essencial para identificarmos precocemente problemas relacionados ao crescimento adequado para a idade, e essa é a forma mais assertiva de encaminhamento ao especialista”. Segundo Cordeiro, outros fatores podem alertar os pais sobre a necessidade de se preocupar com o crescimento dos filhos. “Fatores indiretos como a comparação de altura com colegas ou crianças da mesma idade e medição periódica da altura e peso da criança são importantes e podem funcionar como alerta”, comenta.

A alteração de crescimento das crianças pode estar relacionada a vários fatores, que vão desde uma alimentação inadequada até síndromes genéticas. Cordeiro apresentam outros fatores que podem estar relacionado com o desenvolvimento da criança, o que mostra a necessidade de ficar atentos ao crescimento dos filhos. “Outros fatores que podem ser causas de alteração de crescimento são atividade física em excesso ou falta dessa, doenças ou alterações hormonais, alterações relacionadas ao sono entre outras”, explica.

De acordo com Cordeiro, existem tratamentos para tentar resolver o problema com o crescimento infantil, mas para isso antes é essencial identificar a causa do problema. “Na verdade a identificação precoce da real causa é o fator mais importante. Identificado o problema o tratamento deve ser baseado na causa principal e pode variar desde adequação e recomendação de atividade física e adequação nutricional, até uso de hormônios relacionados ao crescimento”, comenta.

As crianças sem alterações patológicas deve ter um crescimento mais saudável possível. Para que isso ocorra, a criança precisa ter uma alimentação adequada, praticar exercícios adequados para a idade, bem como ter uma boa rotina de sono. Além disso, é preciso que os pais fiquem atentos a qualquer alteração irregular no desenvolvimento dos filhos. Uma mudança inesperada e sem explicação precisa ser investigada de perto por um especialista.
“Os pais devem ficar atentos a alterações inesperadas durante o crescimento. Diminuição da velocidade do crescimento ou crescimento acelerado devem sempre serem analisados. Sinais de puberdade precoce como aparecimento de pelos pubianos, aparecimento precoce das mamas nas meninas, idade da primeira menstruação nas meninas devem chamar atenção e merecem avaliação de especialista”, alerta Cordeiro.

Leandro Curtulo Pantaleão, de 4 anos, realizou um exame para saber se está tudo bem com o seu crescimento. A mãe do garoto Letícia Oliveira Curtulo Pantaleão comenta que a preocupação com o crescimento do filho veio depois de uma consulta de rotina. “Ele faz acompanhamento com o pediatra de 4 em 4 meses, onde pesa e mede. E, na última consulta, o médico percebeu que ele ganhou peso, mas não cresceu. O médico pediu um exame de raio x para ver a idade óssea e estamos aguardando o resultado”, comenta a auxiliar de departamento pessoal.

 

Por Leandro BRITO 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS