MP analisa denúncia de integrante de ONG por uso de carros oficiais

Vereadora disse que responderá tranquilamente ao MP e lamenta acusações caluniosas

A vereadora Cláudia De Giuli (PMB) foi acusada, por uma integrante do Grupo Patas, de utilizar dinheiro público para promover ações de seu gabinete. Segundo a denúncia feita por Silvana Carvalho, a parlamentar estaria visitando pet shops espalhados por Rio Preto para recolher tampinhas plásticas.

Esse material faz parte de uma campanha idealizada pelo gabinete de Cláudia em que, após ser vendido, o valor arrecadado é revertido para a compra de remédios e outros atendimentos destinados à causa animal.

Dhoje Interior

A denúncia foi recebida pelo promotor Sérgio Clementino que enviou comunicado à Câmara e à vereadora solicitando esclarecimentos a respeito das denúncias. Caso as respostas tanto da Casa de Leis, quanto de Cláudia, não sejam suficientes para os devidos esclarecimentos, será aberto um inquérito com prazo estabelecendo 15 dias para mais declarações.

A assessoria de comunicação do gabinete da vereadora enviou nota ao DHoje Interior quando questionada sobre as acusações.

Segundo o gabinete, “a vereadora Cláudia De Giuli esclarece que realizou diversas visitas em estabelecimentos cadastrados como ponto de vacinação antirrábica na campanha que se inicia no próximo mês, sendo assim esteve no Real Pet, localizado na Rua Abraão Tomé na quarta-feira (12) visando o desenvolvimento de ações voltadas para as políticas públicas de bem-estar animal que estão sendo implementadas no município”.

Também foi levantada a possibilidade das acusações terem sido feitas com motivações políticas, já que Silvana foi, por apenas alguns dias, candidata a vereadora em 2016. Na nota, a vereadora, por meio de seus assessores disse somente que “a vereadora conclui, afirmando que aguarda com serenidade para responder ao MP, lamentando que tal afirmação caluniosa tenha partido justamente de uma protetora de animais que teve sua candidatura barrada nas eleições passadas pela Justiça e que tenta a todo custo denegrir o trabalho sério desenvolvido em nosso gabinete, resultando em novas interpelações judiciais”.

O DHoje entrou em contato com Silvana para falar sobre as denúncias. A protetora garantiu que não há motivações políticas por trás das acusações.

“A vereadora deveria ser mais competente e trabalhar para o que foi eleita. Ela levantou uma causa e não está fazendo nada pelos animais. Muito pelo contrário, faz essas campanhas que não surtem efeito nenhum e se promove usando carro oficial, dinheiro do contribuinte”, acusou Silvana.

Segundo ela, “essa campanha das tampinhas que salvam, não salvam nada. Ela não conseguiria pagar por uma castração nem com uma tonelada. Ela precisa parar de falar que eu tive candidatura indeferida, sendo que eu renunciei à campanha. Ela vai ser processada por isso”, finalizou Silvana.

Por Ygor Andrade