Ibirá: Mulher é presa por falsa identidade e exercício ilegal de medicina

Uma falsa médica da foi presa na tarde desta segunda-feira (23), Kelly Regiane Queiroz, de 41 anos, atendia há três meses com documentos falsos na Santa Casa de Ibirá.

De acordo com a Polícia Civil, a mulher alegou que fez medicina na Bolívia, porém, não conseguiu passar no exame do Sistema de Revalidação de Diplomas Médicos – Revalida para trabalhar como médica no Brasil. Para conseguir efetuar o trabalho a falsa profissional utilizava o CRM de uma médica de São Paulo.

Kelly Queiroz Cardoso, de 37 anos, médica dermatologista foi assaltada durante o trânsito em São Paulo, no momento da ação criminosa, os bandidos fugiram com a bolsa que estava com todos os documentos. A falsa médica que também tem o nome semelhante comprou o documento roubado. Kelly Regiane Queiroz alegou para a polícia que comprou o documento de um desconhecido e que utilizava o carimbo da dermatologista.

Segundo a Polícia Civil, os médicos da Santa Casa de Ibirá desconfiaram da atitude da suspeita e denunciaram à polícia. Kelly Regiane Queiroz vai responder por falsa identidade e exercício ilegal da profissão. No crime foi arbitrado a fiança de R$ 5 mil que não foram apresentados. Kelly foi encaminha à Cadeia Pública de Santa Adélia.

De acordo com o advogado Kelly Regiane Queiroz, a cliente será ouvida pelo juiz em audiência de custódia, na tarde desta terça-feira (24). Sobre o caso o advogado André Alberto Nardini preferiu comentar e afirmou que comentaria o caso somente após audiência.

A Santa Casa de Misericórdia de Ibirá informa que no dia 23 de outubro, recebeu informação anônima sobre suposta utilização de documentos falsos, por médica que atendia eventualmente na Santa Casa de Ibirá, bem como em outros municípios da região.

A Santa Casa de Ibirá informou que foi induzida ao erro, pois durante a contratação  da suposta médica foi solicitado a documentação, que foi prontamente apresentado por Kelly Regiane Queiroz os referidos documentos, inclusive, a carteira do CRM. “Ante o recebimento das informações a Santa Casa prontamente diligenciou a respeito, informando a Polícia Civil, que imediatamente tomou as providências necessárias para apuração dos fatos, resultando na prisão da suposta médica”, conta.

Por Mariane Dias 

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS