Ibama pode ficar sem verbas para combater incêndios

Ibama: nas últimas semanas, o aumento do desmatamento e dos focos de incêndio na Amazônia tem feito o governo federal ser alvo de críticas (Gustavo Basso/Getty Images)

O assunto ‘queimadas’ está em bastante evidência nas últimas semanas e, com isso, uma preocupação evolvendo o Ibama o Instituto Chico Mendes de Conservalçai da Biodiversidade está no topo dos assuntos.

Com os bloqueios orçamentários feitos neste ano, ambas as entidades correm riscos de não ter recursos para manter os trabalhos até o final desta temporada.

Segundo informações da Exame, restam, para as ações do Ibama até o fim do ano, poco menos de 19 milhões de reais. “É o que indica uma análise dos valores disponíveis e do que já foi empenhado (autorizado para gasto) neste ano pelos dois órgãos ligados ao Ministério do Meio Ambiente (MMA), que recebem a maior fatia dos recursos da pasta”, diz a publicação.

O Ministério do Meio Ambiente disse que os valores bloqueados dos dois órgãos estão em fase de negociação com a Economia do governo. “A pasta disse ainda estar reavaliando contratos, para reduzir gastos. Desde o início do ano, a gestão Jair Bolsonaro empenhou para as ações de fiscalização do Ibama pouco mais de R$ 68 milhões — média de R$ 8,5 milhões por mês. Por esse cálculo, o que resta em caixa daria para só mais dois meses de fiscalização de crimes ambientais, como desmatamento”, finaliza a publicação.

Por Ygor ANDRADE

SEM COMENTÁRIOS