Hora de atrasar o relógio: fim do horário de verão

A partir das zero horas do domingo (17), os relógios devem ser atrasados em um hora nos estados em que o Horário de Verão é válido. Foto: Cláudio LAHOS

À meia-noite deste sábado, para domingo, chega ao fim o controvertido horário de verão que, dessa vez, durou pouco mais de três meses. Na prática, significa que quando for zero hora o relógio vai retroagir para as 23 horas.
Detestado por muitos, adorado por outros tantos, com seu encerramento o Nordeste do país volta a ter o mesmo horário de Brasília. Acre e oeste do Amazonas voltam a ter duas horas atrás. E o leste amazonense, Roraima e Rondônia, uma hora a menos.
Além de São Paulo, moradores de outros nove Estados vão ter um sábado mais longo e/ou ganhar uma hora a mais para dormir neste domingo.

OPINIÃO POPULAR

Pesquisa do Datafolha de setembro de 2017 revelou que 56% dos brasileiros que moram no Sul, Sudeste e Centro-Oeste, onde o horário de verão é adotado, consideraram a medida positiva. Para 38%, ruim e, para 5%, indiferente.
Instituído pela primeira vez em 1931, pelo então presidente Getúlio Vargas, que copiou a ideia dos norte-americanos, o horário de verão ficou suspenso até 1949, porque a população demorou a se acostumar com a mudança.
Após ir e vir duas vezes, a medida foi retomada em 1985 e desde então repetida de forma ininterrupta. A economia de energia elétrica, devido ao baixo nível dos reservatórios de hidrelétricas, tem sido a justificativa para mexer nos ponteiros.

Por: Daniele Jammal – redação jornal Dhoje Interior

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS