Homens jovens são maiores vítimas de acidentes de trânsito na cidade

No mês em que o Movimento Maio Amarelo chama a atenção da sociedade para o alto
índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo, o Instituto de Reabilitação Lucy Montoro de Rio Preto alerta que em 2018, 67% das vítimas de trânsito atendidas na unidade sofreram acidente de carro (motorista ou passageiro), 32% acidente de moto e 1% atropelamento. No total, 54% são homens na faixa etária de 25 a 40 anos e 54% sofreram lesão encefálica. O levantamento aponta ainda que 33% sofreram amputação e 13% lesão medular (paraplegia ou tetraplegia).

Segundo a diretora e médica fisiatra do Instituto de Reabilitação Lucy Montoro rio-pretense, Regina Chueire, as vítimas de acidentes de trânsito passam por um longo processo de reabilitação e podem ter sequelas para a vida toda.

“As consequências não são apenas para o acidentado. Muitas vezes, a deficiência severa pede que alguém da família se dedique à vítima por tempo integral”, completa a especialista.

O Instituto de Reabilitação Lucy Montoro de Rio Preto é uma unidade de atendimento ambulatorial que oferece reabilitação às pessoas com deficiência ou doenças potencialmente incapacitantes através de uma equipe multidisciplinar, composta por médicos fisiatras, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, assistentes sociais e outros profissionais especializados em reabilitação.
Referência em atendimento, ensino e pesquisa, a unidade faz dispensa de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção para os 102 municípios que compõem os Departamentos Regionais de Saúde (DRS) de Araçatuba e São José do Rio Preto.

Os interessados em receber tratamento no Instituto, localizado na Av. Jamil Feres Kfouri, 40 – Jardim Panorama, São José do Rio Preto, devem ser encaminhados pelo serviço médico de uma unidade pública de saúde.

Criada em 2008, a Rede de Reabilitação Lucy Montoro conta, atualmente< com 19 unidades em funcionamento que realizam mais de 100 mil atendimentos por mês.

Referência em reabilitação para pessoas com deficiência e doenças incapacitantes, o atendimento é realizado por uma equipe multidisciplinar, composta por médicos fisiatras, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, assistentes sociais e outros profissionais especializados.