Haddad diz que irá processar Bolsonaro por propaganda irregular

(Foto Divulgação)

Por conta de uma reportagem no jornal Folha de São Paulo de quinta-feira (18), o candidato à presidência Fernando Haddad (PT), que concorre ao segundo turno, e o ex-candidato Ciro Gomes (PDT), entraram com pedido na Justiça pedindo a cassação da chapa do candidato Jair Bolsonaro (PSL) e do vice General Mourão (PRTB).

De acordo com a denúncia do jornal, um grupo de empresários estaria financiando a divulgação de notícias contra o Partido dos Trabalhadores através do aplicativo de mensagens de celular, WhatsApp. As empresas contrárias ao PT e que apoiariam o candidato do PSL teriam gastos cerca de R$ 12 milhões para disparar as mensagens contra a sigla. A prática é ilegal.

O PT afirma ter a lista das empresas que participaram do esquema e disse que exigirá que a Polícia Federal conduza as investigações e ouça as testemunhas.

Já o Carlos Lupi, presidente do PDT declarou que tentará, junto ao Tribunal Superior Eleitoral, anular o resultado das eleições. “Estamos preparando uma ação. Ainda não está pronta, o jurídico está examinando o termo exato e por isso ainda não soltei”, disse o presidente do partido à Reuters.

Ainda existe a possibilidade do PT alegar na Justiça que o rival usou “Caixa 2” na campanha e, além de formar uma “organização criminosa”, teria promovido “calúnia e difamação” e “lavagem de dinheiro”. Conteúdo especial: Bia MENEGILDO

 

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS