Hábitos saudáveis previnem o câncer colorretal

Manter hábitos como boa alimentação e prática de exercícios físicos é uma das principais recomendações para evitar doenças como o câncer. Estimular esses costumes e chamar a atenção para o câncer colorretal é o objetivo da campanha Março Azul-marinho.

Um dos tipos mais frequentes no mundo, também chamado de câncer de intestino ou de cólon e reto, atinge homens e mulheres, indistintamente. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), são estimados mais de 36 mil novos casos para este ano.

O proctologista do Hospital Amaral Carvalho (HAC), Luiz Angelo Bortolai, explica que os tumores no intestino grosso, geralmente, têm origem em pólipos (pequenas elevações na parede do cólon e/ou reto), que crescem lentamente.

“Através do exame de colonoscopia, eles podem ser identificados e retirados antes de se tornarem malignos. Mas a indicação de exames deve ser realizada por um médico”.

É importante ficar atento a sinais, como a presença de sangue nas fezes, dor/desconforto ou massa abdominal, perda de peso sem causa aparente e alterações do hábito intestinal (diarreia e prisão de ventre, alternados) ou no formato das fezes (muito finas e compridas).

De acordo com Bortolai, os sintomas associados ao câncer colorretal são, algumas vezes, comuns aos de outras doenças, como hemorroidas e verminoses. Por isso, é necessário o acompanhamento de um especialista para receber as orientações e tratamento adequados.

Quem tem histórico familiar de câncer ou doenças inflamatórias no intestino, como retocolite, está no grupo de risco. O excesso de peso e a má alimentação também contribuem para o desenvolvimento desse tipo de câncer.

O profissional do HAC ressalta que é necessário evitar o consumo de carnes processadas (salsicha, linguiça, presunto, etc.), a ingestão excessiva de carne vermelha, o consumo de bebidas alcoólicas e o tabagismo.

“Basicamente, manter uma dieta composta por alimentos mais naturais ou minimamente processados, como frutas, verduras, cereais e grãos que contribuem para o bom funcionamento do intestino”, orienta.

Por DA REDAÇÃO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS