Há poucos dias do carnaval, blocos fazem últimos ajustes para a folia

O carnaval deste ano em Rio Preto promete ser de muita animação e resistência. De temas que abordam a atual situação política do país, a questão racial e a força da mulher, os blocos trarão para as ruas da cidade a luta contra todos os preconceitos e a defesa dos direitos das minorias.

A folia começa na noite de hoje e segue até segunda-feira. Ao todo, cinco blocos irão desfilar neste feriado em diferentes bairros. A expectativa dos organizadores é que mais de 1000 pessoas participem da brincadeira.

 

Aurora, o bloco

Um grupo de amigos decidiu estender as animadas reuniões em um bar da cidade para as ruas durante o carnaval. Assim nasceu o bloco Aurora no ano passado. De acordo com o organizador Breno Gutierrez Motta a ideia era celebrar. “O bar que frequentávamos ia fechar. Então decidimos fazer um bloco de despedida para comemorar os bons momentos”, afirma.

O reduto dos amigos trocou de dono e a turma seguiu a folia durante o ano como os Filhos do Nhô. “Com o carnaval se aproximando decidimos retomar o nome Aurora, em homenagem ao bairro”, conta. O bloco, que espera reunir 300 participantes, compôs uma marchinha própria em que questiona o atual momento do país.

A saída será hoje, às 19 horas, na Rua 9 de julho, bairro Santa Cruz. Amanhã, alguns integrantes participarão de um carnaval solidário no Lar dos Idosos de Engenheiro Schmitt.

 

Bloco do Saci

Fundado em 2003, o Bloco do Saci é o mais antigo de Rio Preto em atividade. Com o tema “Pulando o Preconceito”, a organização estima cerca de 250 foliões nas ruas da cidade.

“A intenção é somar com os movimentos sociais. Estamos muito longe de vermos uma civilização despida de preconceitos e, por isso, vamos estampar na nossa camiseta de 2018 um grito consciente, como sempre fizemos”, garante a coordenadora, Creuza Arruda.

Este ano a atração fica por conta de Roberto Corrêa e banda com um repertório repleto de marchinhas. A concentração será no Mercado Municipal, às 11 horas, seguindo pelo centro da cidade até o Bar do Fidélis, na Rua Saldanha Marinho, onde a festa continua.

 

Obará Bloco Afro 

“Beleza Negra, Revolução Preta”, é a proposta do bloco Afro. Fruto das ações do Centro Cultural Obará, o grupo carnavalesco surgiu da necessidade de disseminar a cultura negra. “Concluímos que grande parte da população, que é alvo principal de tais ações afirmativas, tem dificuldade de acesso quando as propostas estão em um espaço fixo. Assim, a necessidade de circulação”, explica o organizador Vinícius Rocha.

O coordenador afirma ainda que a escolha em sair no carnaval deve-se ao fato do feriado ser a expressão afro mais visível do país. Em seu primeiro ano, o Obará traz como instrumento a luta do povo negro e pretende permanecer no calendário da cidade por muitos anos. “Esta resistência traz em seu próprio conteúdo ações para superar o racismo, mas também é festa, alegria, dança, música e ritual”, reitera.
No domingo, o Bloco desfila após as escolas de samba no desfile oficial, na Avenida Duque de Caxias em frente à Swift.

 

Ocupa Ação

Ativistas há 20 anos, Ivan dos Reis Miranda e Alex Cardoso querem levar para periferia a discussão racial com o bloco Ocupa Ação, um braço das ações artísticas do grupo. “Estamos na periferia da cidade porque queremos trazer para a população que mais é afetada pela violência racial uma discussão empoderadora”, esclarece Ivan.

A expectativa da organização é reunir cerca de 500 pessoas no bairro Lealdade. “Vamos curtir e aproveitar. Sempre com resistência”, afirma. A festa será segunda-feira e contará com festival de fantasia para crianças, dj de marchinhas, roda de samba, espaço gourmet e sorteios. Serão disponibilizados 100 abadás gratuitos para a população. “Vale ressaltar que o uso do abadá não é obrigatório para a participação”, conclui.

 

Bloco do Vasco

A sétima edição vai homenagear as mulheres rio-pretenses comprometidas com a defesa dos direitos das mulheres e da liberdade feminina. Com o mote “Mulheres em Movimento”, serão consagradas a assistente social Maria Aparecida Trazzi Vernucci da Silva, a professora Bruna Giojiani de Arruda e a atriz e arte educadora Roberta dos Santos Cunha.
“A questão de gênero está em voga em todo o mundo. Queremos evidenciar esta luta! Como existem muitas mulheres, optamos por três que estão próximas de nós e são colaboradoras do Vasco”, conta o organizador Roberto Brito.

O Bloco vai desfilar no domingo com concentração no Centro Cultural Vasco, às 15 horas. No dia seguinte a folia continua e está marcada para às 16 horas. O desfile pelas ruas da Boa Vista é a partir das 17 horas.

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS