Guilherme Boulos participa de debate social em Rio Preto

Foto Guilherme Batista

O candidato à presidência derrotado no primeiro turno das eleições presidenciáveis deste ano, Guilherme Boulos, visitou a redação do jornal DHoje, na última sexta-feira (23). A visita de Boulos foi acompanhada do atual deputado estadual João Paulo Rillo (Psol).

Boulos participou do “Proza Viva”, no Centro Cultural Vasco, em Rio Preto. “Vim a convite do Rillo para poder conversar um pouco sobre a situação do país, tenho andado o Brasil todo com o intuito de discutir com as pessoas o que a situação atual representa. Nós não estamos querendo fazer um terceiro turno. A questão é Bolsonaro foi eleito a presidente da república, ele não foi eleito ditador, ele não foi eleito imperador do Brasil”, afirmou.

Para Boulos os movimentos sociais têm sofrido ataques. “Tem tido uma ofensiva para desmoralizar o movimento social, com citação de que o movimento social quer um cargo, quer uma boquinha, é gente que não trabalha, portanto há um preconceito enorme com os movimentos. As pessoas muitas vezes atacam o movimento social e se esquecem de duas coisas, o movimento social foi decisivo para gente ter democracia no Brasil, movimento social foi decisivo para termos férias, 13º, salário mínimo, salário igual para mulher, tudo isso é importante para sociedade”, disse.

Boulos afirmou que será criada uma ampla frente para os movimentos sociais e a liberdade democrática. “ Não dá para aceitar que movimento social seja tratado como terrorista, alguém que luta por casa porque não tem onde morar é terrorista? Isso é absurdo. Nós temos 13 milhões de desempregados no Brasil. Milhões de pessoas que trabalham e trabalharam e não conseguiram comprar um imóvel”.

Rillo de mãos dadas com Rio Preto
Sobre a falta de representatividade de Rio Preto no Senado, o deputado estadual João Paulo Rillo (Psol) afirmou que a situação aconteceu em várias regiões do país. “ Eu não fui eleito, mas Raul Marcelo de Sorocaba também não foi reeleito, só que o nosso partido dobrou a bancada, a bancada do Partido dos Trabalhadores diminuiu, porém, se manteve como a maior. O que aconteceu foi que a direita tradicional foi substituída pela ultradireita”.

O deputado afirmou ter sofrido jogo sujo no resultado das urnas. “Em relação a Minha condição, teve um jogo subterrâneo muito sujo, via whatssApp que pedia o voto ao Bolsonaro e na chapa completa, Bolsonaro teve quase 65% dos votos no primeiro turno em Rio Preto a Janaina Paschoal que nunca pisou em Rio Preto foi a mais votada da cidade, então o que aconteceu é que boa parte do eleitor que estava propenso a votar em mim e nas representações tradicionais da cidade resolveu acompanhar o voto nacional e votar na chapa completa do Bolsonaro”.

Rillo disse que continuará contribuindo com a cidade “Vou continuar na militância política, vou contar com meus companheiros de partido que foram eleitos. Quero continuar fazendo pela cidade, fazer trabalho de base, estou à disposição da população”, finalizou.

 

Por Mariane Dias

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS