Guardas, baleados durante assalto, são homenageados no desfile da Independência

Na frente de quase 10 mil pessoas, que compareceram na avenida Bady Bassitt, nesta manhã (07), para prestigiar o desfie de 7 de Setembro, os guardas municipais Cleiton Gomes e Tássia Tomoda, baleados durante um assalto a uma joalheria no Centro da cidade, no mês de julho, foram homenageados, logo no começo do evento, pelo prefeito Edinho Araújo e a primeira dama Maria Elza, com uma placa cada um e emocionaram o público presente.

Cleiton, que teve a perna esquerda amputada por conta do ferimento causado pelo tiro, desfilou de cadeira de rodas, já Tássia, que havia tomado um tiro na barriga, caminhou com a ajuda de muletas.

Para o presidente da Câmara Municipal, o coronel Jean Charles (PMDB), um dos vereadores presentes no evento, ao lado de Karina Caroline (PRB), Cláudia De Giuli (PMB), Anderson Branco (PR) e Renato Pupo (PSD), a homenagem para os agentes foi mais que merecida.

“Achei positivo, e junto com a população, fazer essa homenagem. Acho que a organização e o prefeito foram felizes na escolha em fazer essa homenagem aqui. Em um desfile que acaba sendo um momento, que até quem não é muito patriota, começa a refletir um pouquinho, principalmente com a situação do país, o que cada um pode fazer para tornar essa independência livre da corrupção, livre das pessoas do mal, e que cada um possa fazer sua parte para mudar as coisas”, afirmou.

Prefeito Edinho Araújo também ressaltou a homenagem e lembrou da tradição histórica do desfile. “É um conjunto de fatores que estão presentes em um desfile como este e aqui está a sociedade e estamos para presenciar, aplaudir e premiar, principalmente, a questão da guarda, pelo episódio ocorrido. Portanto, estamos cumprimentando todos aqueles que realmente vêm as ruas e participam deste desfile, que é histórico e mantemos a tradição de tantos anos”, disse o prefeito, que também falou sobre o primeiro 7 de Setembro do novo mandato.

“Independência é um fato histórico, da maior importância do nosso país, e que nós temos que todo dia construir essa independência, essa liberdade, através do emprego, da valorização do ser humano, da inclusão. Tem uma série de leituras que se faz e as pessoas com um olhar diferenciado, uma sociedade plural, um Brasil democrático, sem radicalismo, é isso, é civismo, é respeito ao próximo”, finalizou.

Fonte: Marcelo Schaffauser – Redação jornal DHoje Interior 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS