Greve dos Correios faz 70% dos carteiros pararem em Rio Preto

Iniciada a partir das 0h00 de ontem, segundo o sindicato, a greve nacional dos Correios chegou até Rio Preto onde 70% dos funcionários, a maioria carteiros, aderiram ao movimento.

Segundo o presidente do sindicato dos trabalhadores dos Correios, Sérgio Pimenta, a paralisação, a princípio, é por tempo indeterminado.

“É uma greve nacional, 29 sindicatos parados, ou seja, entre 24, 25 estados parados. Estamos reivindicando a campanha salarial, o acordo coletivo, mas eles não estão querendo negociar. Estão querendo tirar 15 cláusulas do nosso acordo, como mudanças no plano médico, por exemplo”, explicou Sérgio Pimenta, que acredita que a demora é uma tentativa dos Correios de prolongar as negociações até as novas leis trabalhistas serem aprovados.

“Estamos negociando desde 8 de agosto. Os Correios querem protelar até o dia 13 de novembro, quando a nova lei de trabalhista estará valendo”, disse.

Com a diminuição do número de funcionários trabalhando as correspondências devem atrasar alerta o presidente. “Olha, não dá para precisar, mas muita gente será prejudicada. Se com todo o efetivo que temos na rua a situação já não está boa, imagina agora. Todos os serviços vão continuar, mas de uma forma precária”, finalizou.
Ontem à noite os grevistas se reuniram em uma assembleia e definiram que amanhã de manhã uma nova reunião será feita para decidir a continuação ou não da grave.

 

Por Marcelo Schaffauser

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS