Greve de analistas-tributários é estendida até o dia 1º de junho

Funcionários vão ficar sem trabalhar até o próximo dia 1º de junho, quando todas as atividades ficaram paralisadas no país

Paralisados desde o mês de abril, cerca de 30 analistas-tributários rio-pretenses, ou 50% do efetivo na cidade, irão manter a greve da categoria até o próximo dia 1º de junho. Sem chegar a um acordo salarial, os funcionários de Rio Preto se juntam aos outros sete mil analistas-tributários da Receita Federal do Brasil (RFB), que iniciaram a greve em março deste ano, em âmbito nacional, reivindicando o cumprimento integral do acordo salarial da categoria, assinado há mais de dois anos.

Segundo Walter Vinicius, analista-tributário, de acordo com a última deliberação da categoria, além de todos os dias uteis desta semana, está prevista a paralisação das atividades nos dias 28, 29, 30, 31 e 1º da próxima semana.

“O motivo desse aumento nos números de dias de greve é aumentar a pressão junto ao governo para que este cumpra o acordo firmado com a nossa categoria”, explicou o analista-tributário.

Sem prazo determinado para ser encerrada, a greve, que já chegou a paralisar 90% dos funcionários em Rio Preto, em seus primeiros dias, também não deve ter uma resolução rápida do governo, como diz Walter Vinicius. “O governo diz que está analisando, mas na nossa visão isto ainda está longe de terminar”, completou.

Com a greve os serviços para população de atendimento aos contribuintes, emissão de certidões negativas e de regularidade, restituição e compensação, inscrições e alterações cadastrais, regularização de débitos e pendências, orientação aos contribuintes, parcelamento de débitos, revisões de declarações, análise de processos de cobrança, atendimentos a demandas e respostas a ofícios de outros órgãos, entre outras atividades, ficam interrompidos nas unidades da Receita Federal em todo o Brasil.

Por Marcelo Schaffauser

SEM COMENTÁRIOS