MAIS FÉRTIL: Gravidez Pós Fertilização In Vitro

Diante de um resultado positivo após o processo de fertilização in vitro, é necessário o início do pré natal . Como bem sabem todas as pacientes que já passaram por tratamentos de Reprodução Assistida, são muitas visitas,medicações, ultrassonografias e exames,e infelizmente, às vezes algumas frustrações antes do tão esperado resultado positivo.

A partir da confirmação da gravidez, aí sim a mãe deve seguir cuidados diferenciados, principalmente no primeiro trimestre da gestação, que é o mais delicado para todas as gestantes. Afinal, mais do que nunca, os futuros papais querem que tudo dê certo. Portanto, o pré-natal pode ser mais rigoroso. A mulher que engravidou pela FIV recebe, por exemplo, nos três primeiros meses, alguns hormônios que ajudam a manter a gestação.

Manter o controle da alimentação é essencial para ter uma gestação saudável. Uma alimentação equilibrada evita o ganho de peso excessivo, que pode acarretar problemas de saúde – como diabetes gestacional e hipertensão -, e equilibra o organismo com o aporte necessário de nutrientes para a mãe e para o bebê.

“Em alguns casos, durante o primeiro trimestre da gravidez, pode ser que o médico recomende repouso. Isso acontece porque existem mulheres mais propensas a problemas que podem causar a perda do bebê, como um colo de útero curto ou fino.Há também maiores chances de gestações múltiplas em tratamentos de FIV que requerem acompanhamento diferenciado para evitar um parto prematuro e outros problemas.

Tirando os casos específicos, que terão a recomendação dada pelo obstetra sobre a rotina diária, a gravidez segue como qualquer outra normal, com o acompanhamento indispensável do pré-natal.

De maneira geral, os riscos na gravidez são semelhantes em pacientes que engravidaram naturalmente ou através das técnicas de reprodução assistida. Para qualquer grávida existe um risco de 15% a 20% de abortamento. Por isso recomendamos aguardar as primeiras 12 semanas para comunicar a gravidez aos familiares e amigos. Obviamente, dependendo do motivo pelo qual a fertilização in vitro foi indicada, podem existir riscos e particularidades importantes que merecem atenção especial. Por exemplo, para pacientes que já foram submetidas a cirurgias uterinas por miomas provavelmente será indicada uma cesárea devido a possíveis riscos para o bebê e para a mãe no trabalho de parto.

Após 15 dias do teste de gravidez realizamos a primeira consulta e o primeiro ultrassom obstétrico. Nessa data é possível avaliar a possibilidade de gestações múltiplas, se estão bem localizados e em bom desenvolvimento. Também solicitamos os exames complementares de pré-natal e encaminhamos a paciente para uma consulta nutricional.

Nos primeiros três meses de gravidez, recomendamos que os exames de ultrassonografia sejam realizados a cada 15 dias e as consultas, a cada 30 dias. Com 12 semanas de gestação deverá ser realizada a primeira ultrassonografia morfológica, que possibilita avaliar detalhes importantes do feto, bem como estimar alguns riscos na gravidez. A partir desse estágio da gravidez suspendemos todas as medicações que foram prescritas durante a fertilização in vitro e o pré-natal segue normalmente, isto é, com consultas mensais – que passam a ser quinzenais e semanais no final da gestação. Os exames de ultrassom costumam ser feitos mensalmente até os últimos meses de gravidez.

O acompanhamento pré-natal tem como grande objetivo a prevenção e a detecção precoce de riscos para a gravidez. A mesma regra se aplica às gestantes que engravidaram através da fertilização in vitro. Cuidados com a alimentação, o rígido controle do peso e da pressão, além do acesso a todas as informações possíveis e necessárias (sempre de fontes confiáveis) são alguns dos alicerces de uma boa gravidez. Isso tudo somado aos exames bem realizados com toda a tecnologia possível, além da disponibilidade de nossa equipe em um ambiente familiar, tranquilo e profissional certamente favorecerá uma gravidez e um parto saudáveis.

Vale ressaltar o cuidado especial que devemos ter nos casos de gestação múltipla. Nesses casos, a paciente deve fazer um pré-natal muito mais assíduo, intenso e, provavelmente, precisará ficar em repouso no final da gestação. Por esse motivo sempre enfatizamos que, nos casos de gravidez por fertilização in vitro, um bom pré-natal começa com a correta orientação antes de se fazer a transferência embrionária, optando-se pelo menor número possível de embriões – o que só é possível quando confiamos plenamente nos resultados de nosso laboratório de reprodução assistida. E por último, o sucesso da reprodução humana não se mede com o resultado de gravidez positivo e sim quando temos um bebê saudável em casa.

Por Luiz Fernando Gonçalves Borges – médico ginecologista e obstetra, pós-graduado em Reprodução Humana.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS