Gratuidade para idosos acima dos 60 tem legalidade aprovada na Câmara

Vereador Jean Dornelas, autor do projeto, destaca “vislumbrar um futuro” para os idosos

A Câmara de Rio Preto aprovou na legalidade, ontem, projeto de Lei do vereador Jean Dornelas (PSL) sobre a gratuidade para idosos acima de 60 anos no transporte coletivo de Rio Preto. Em defesa de seu projeto, Dornelas destacou a pesquisa feita por ele e sua equipe que apresentou adequações ao texto da Lei.

Segundo ele, seu projeto agora contempla um período maior para que a Lei seja colocada em prática. “A ideia é contemplar um novo contrato com a empresa, que inclusive, está para vencer”, disse o autor do projeto.

O vereador José Carlos Marinho (PSB) contestou o projeto e alegou que fará uma emenda para que haja uma limitação no número de idosos usuários.

“De fato, quem na realidade paga é a população rio-pretense. É dinheiro do povo. Como tem muito aposentado que ganha muito mais que um salário mínimo, não tem necessidade de fazer uso do transporte coletivo gratuito. O projeto é bom, mas precisa beneficiar quem precisa. A emenda vai ser para quem ganha até dois salários mínimos”, frisou Marinho.

O vereador Marco Rillo (PT) argumentou que “até posso votar a favor, mas não podemos vender ilusões”. “Vai se tornar inviável, não vai acontecer porque a empresa não vai querer pagar isso”, salientou Rillo que contestou a emenda de Marinho.
“A não ser que usem carteirinhas, como o cobrador vai saber quem ganha mais e quem ganha menos”, sinalizou.

Dornelas finalizou a discussão, destacando que, caso o projeto cause um grande problema financeiro para a cidade, será o primeiro a fazer uma nova Lei para derrubar o projeto.

“Poderá encarecer um pouco sim, mas quero pensar que é justo que os mais jovens paguem um pouco mais para que os idosos possam fazer suas atividades com mais tranquilidade. Ir ao médico ou visitar um parente. Teremos menos carros nas ruas, porque temos até ônibus com ar-condicionado. Acho um projeto que observa o futuro; a cidade terá, até 2040, uma média de 50% da população idosa”, finalizou.

O projeto ainda terá sua votação no mérito, ainda sem data para que aconteça.

Por Ygor Andrade

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS