Olímpia perde Plantão Policial para Barretos

O prefeito de Olímpia, Fernando Augusto Cunha, se dedicou para que fosse mantido o Plantão da Polícia Civil na cidade, porém não conseguiu. Nesta quarta-feira (20), o representante do Executivo falou sobre a transferência da delegacia. A população deverá ser atendida pela Central de Flagrantes de Barretos, município que fica aproximadamente a 50 quilômetros de distância.

Cunha lamentou o ocorrido e afirmou que não mediu esforços para que o policiamento fosse mantido 24h. Aproximadamente dez funcionários da Prefeitura, entre escriturários, auxiliares de serviços diversos e estagiários atuavam nas atividades.

“A segurança pública está bem abandonada no nosso Estado. Na Polícia Militar colocam mais um pouco de recurso, fazem concurso, mas na área da Polícia Civil, que é o caso dos Plantões Policiais e delegacias, eles não estão repondo funcionários. Então tem dois anos que eu venho apoiando fornecendo funcionário e pegando parte dos serviços, mas não adianta. A parte de Plantão Policial tem que ser delegado, tem que ser escrivão concursado, não temos como substituir”, declarou Cunha.

Com a percepção da escassez de funcionários da Polícia Civil, o prefeito ponderou que, “a gente já criou a Guarda Civil Municipal, o videomonitoramento sabendo que a segurança pública poderia piorar no nosso Estado como um todo. Infelizmente, plantão à noite e no fim de semana chegou num ponto que não tem mais delegado, nem escrivão para trabalhar”.

Segundo o prefeito, atualmente, 40 policiais militares trabalham para atender as ocorrências da cidade. A fim de aumentar o reforço, a população conta com os agentes da Guarda Municipal.

“Nós criamos a Guarda Municipal com 50 agentes é mais do que todos os policiais que têm na Polícia Militar de Olímpia, porque eu já imagina que algum momento a coisa iria piorar”, lamentou.

A Prefeitura esclareceu ainda que a transferência do Plantão para Barretos foi uma determinação do Governo do Estado.

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS