Governo de SP confirma 5ª semana seguida de queda de mortes por coronavírus

Foto: Governo do Estado de São Paulo

O Governador João Doria anunciou nesta segunda-feira (14) uma redução consistente de todos os indicadores de evolução da pandemia no estado de São Paulo. A média diária de mortes provocadas pelo coronavírus está em queda pela quinta semana consecutiva e chega ao menor patamar desde o final de maio.

“São Paulo conclui a quinta semana consecutiva em queda de óbitos pela primeira vez desde o início da pandemia, em março deste ano. Evidentemente que lamentamos e nos solidarizamos com as famílias que perderam entes queridos para a Covid-19, mas estamos em queda”, afirmou Doria.

Dhoje Interior

De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde, a média diária estadual de novas mortes por coronavírus na última semana epidemiológica, entre 6 e 12 de setembro, ficou em 179 casos. Houve redução de 8,7% em relação ao período imediatamente anterior, de 30 de agosto a 5 de setembro. A média atual de óbitos por coronavírus também é a menor verificada desde meados de maio.

A média diária de internações em todo o estado também teve redução pela quinta semana seguida, com 1.303 registros, 8,2% a menos do que o verificado no período imediatamente anterior.

A média estadual de hospitalizações em decorrência da pandemia também é a mais baixa das últimas 18 semanas, o que permitiu que a taxa de ocupação de leitos de UTI para pacientes graves com coronavírus caísse a 51,1%. Este é o menor índice desde o início da pandemia, em março.

Os dados também apontam queda robusta de 27,2% na média diária de novos casos confirmados de COVID-19 em São Paulo. Foram registradas, em média, 5.372 infecções diária por coronavírus entre 6 e 12 de setembro, ante 7.380 na semana epidemiológica anterior. É a quarta semana seguida em que o contágio mostra refreamento em todo o estado.

Apesar da melhora, Doria reforçou que a situação ainda é de alerta em todas as regiões de São Paulo e pediu apoio da população ao distanciamento social, uso de máscaras e higiene pessoal. “Estamos em quarentena e devemos permanecer até a chegada da vacina que nos imunizará a todos e nos protegerá definitivamente”, comentou.

Da REDAÇÃO