Governo cria Comitê de Gestão Ambiental e libera R$ 38 milhões para projetos

O governador João Doria assinou nesta segunda-feira, dia 23, mais 94 contratos com 73 municípios para execução de projetos de segurança hídrica, proteção, conservação e recuperação da qualidade das águas. Os recursos são provenientes do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) e os repasses ocorrem por meio das secretarias de Infraestrutura e Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional. Na ocasião, também foi criado o Comitê de Apoio à Gestão Ambiental do Estado de São Paulo, que tem como objetivo designar uma assessoria consultiva para definir estratégias na condução da agenda ambiental do Estado de São Paulo.

“A questão ambiental é de grande importância para o nosso Governo. Temos metas ambiciosas e a assinatura desses contratos com os municípios é parte importante do processo para atingirmos essas metas. Também estamos muito felizes com o Comitê de Meio Ambiente, que acabamos de criar. Além de excelentes profissionais do Estado, altamente gabaritados, temos representantes da sociedade civil, especialistas, pessoas do setor que entendem muito, e para presidir, o professor José Goldemberg. O Comitê é importante porque vai orientar todas ações do Governo na área ambiental, nos ajudar com uma visão crítica para que os projetos sejam os mais adequados e modernos para o setor”, disse Doria.

Comitê de Gestão Ambiental

O Comitê é formado por 15 pessoas da sociedade civil, entre as quais representantes da ONG SOS Mata Atlântica, da Universidade de São Paulo e da Fundação Getúlio Vargas.

O Comitê é presidido pelo professor José Goldemberg ex-reitor da USP (1986 – 1990), ex-secretário do Meio Ambiente de São Paulo (2002 a 2006), e desde agosto de 2015 é presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, tem como suplente o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, e conta com a participação dos titulares das pastas de Saúde, José Henrique Germann Ferreira; Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira; Fazenda e Planejamento, Henrique Meirelles; Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen; o Subsecretário de Meio Ambiente, Eduardo Trani; o presidente da Sabesp, Benedito Braga; e a diretora-presidente da Cetesb, Patrícia Iglecias.

“Nosso objetivo é fazer do Estado de São Paulo o exemplo de desenvolvimento sustentável do Brasil. Queremos gerar emprego e renda conciliando as questões ambientais. É um privilégio poder debater este tema com pessoas importantes nesta área e promover esta troca de experiências em prol da criação de políticas públicas”, afirmou Penido.
A participação no Comitê não será remunerada. Os conselheiros terão mandato de dois anos e será permitida uma recondução.

Por Jaqueline BARROS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS