Governo condena o assassinato do dirigente partidário venezuelano

O governo brasileiro condenou hoje (25) o assassinato de Edmundo Rada, dirigente do partido Voluntad Popular e ex-vereador do munícipio de Sucre, na Venezuela, informou hoje (25) o Itamaraty.  O corpo de Edmundo Rada foi encontrado ontem (24) em uma estrada perto de Guaicoco, localidade do mesmo município. A polícia venezuelana encontrou o corpo queimado e com marcas de bala na cabeça. Rada foi visto pela última vez quarta-feira, às 8h, segundo testemunhas.

Em nota, o Itamaraty chamou de “brutal” o assassinato e afirmou que, “à luz dos fortes indícios de motivações políticas do crime contra a vida de Edmundo Rada e de tantos outros líderes venezuelanos, o governo brasileiro insta a que sejam investigados os crimes políticos praticados naquele país e punidos os culpados”.

De acordo com o Itamaraty, as  violações a direitos políticos na Venezuela têm sido amplamente registradas pelos órgãos internacionais de supervisão de direitos humanos. “O assassinato de Edmundo Rada comprova, de maneira trágica, a necessidade de constante participação dos organismos multilaterais nas investigações de violações a direitos humanos na Venezuela”, diz.

Edmundo Rada era conhecido como líder social na comunidade venezuelana de Petare e colaborava na organização de cantinas sociais. “Com muita dor anunciamos o país em que nosso irmão e chefe do município de Sucre, Edmundo ‘Pipo’ Rada, foi encontrado morto”, informou o partido em suas redes sociais.

Agência BRASIL

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS