Giro Tecnológico: Saiba os desafios e oportunidades da Engenharia Civil

Uma pesquisa realizada pelo Portal Educacional revelou que 54% dos estudantes do 3º ano do Ensino Médio não sabem qual carreira seguir. A falta de orientação vocacional na maioria das escolas tem resultado em um índice de 40% de evasão universitária do total de matriculados. Com base nesses dados, o DHoje vai promover a série “Giro Tecnológico” para mostrar as diversas opções de cursos superiores, com o objetivo de auxiliar os jovens na hora de escolher a carreira.

O primeiro curso que será abordado é o de Engenharia Civil, um dos mais concorridos no Brasil. “O engenheiro civil projeta, gerencia e acompanha todas as etapas de uma construção ou a reforma de obras, como casas, edifícios, estádios esportivos (arenas), aeroportos, shoppings centers, etc. No canteiro de obras, chefia as equipes de trabalho, supervisionando prazos, custos, padrões de qualidade e de segurança. Cabe a ele garantir a estabilidade e a segurança da edificação, calculando os efeitos dos ventos e das mudanças de temperatura na resistência dos materiais usados na construção”, afirmou Matheus Augusto de Oliveira Mattos, coordenador do curso na Estácio de Rio Preto.

Matheus ainda comentou sobre o mercado de trabalho para os profissionais dessa área. ”O aquecimento do mercado imobiliário nos últimos anos segue influenciando a grande procura pelo engenheiro especializado em construções urbanas. Entre os setores apontados como promissores estão o de petróleo e gás, que deverão receber investimentos em obras de grande porte, como gasodutos e refinarias”, disse.

“Escolhi engenharia civil por ser uma área abrangente e ter grande reconhecimento no mercado de trabalho”, afirmou Isabela Plaza Martins, estudante do curso. No entanto, as mulheres são minoria nessa área. Dados do Conselho Nacional de Engenheiros e Agrônomos (Confea) apontam a existência de mais de 250 mil profissionais no ramo, sendo cerca de 80% homens. Apesar disso, Isabela diz que isso não a incomoda. “Não vejo problema, todos temos potencial, basta fazer as coisas com vontade e dar o seu melhor em cada detalhe”.

Colaborou: Vinicius LIMA

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS