Gatos não são vilões para as mulheres grávidas

Muitas pessoas acreditam que durante a gestação das mulheres os gatos domésticos podem trazer alguns perigos tanto durante a gravidez como após o nascimento do bebê.
Como todos sabem, os gatos são animais independentes, bastante higiênicos, mas ainda sim existem muitas dúvidas em relação as doenças que eles podem transmitir.
Um dos maiores receios é em relação a toxoplasmose ou como é popularmente chamada ‘doença do gato’, trata-se de uma doença infecciosa, congênita ou adquirida.

A toxoplasmose é transmitida por um protozoário chamado Toxoplasma gondii, presente muitas vezes nas fezes do gato e alimentos. O gato é considerado o hospedeiro definitivo desse protozoário, porém a transmissão não se dá diretamente por ele e sim pelo contato do ser humano ou outros animais com as fezes do gato ou por alimento com o protozoário.

Já é cientificamente comprovadas as formas de contágio. As mais comuns são ingestão de carne contaminada, mal cozida ou crua, ou de alimentos contaminados pelo uso de facas ou objetos que tiveram contato na preparação dessa carne.
Além disso, beber água contaminada também transmite a doença, bem como comer frutas ou verduras que vieram com a terra contaminada e não foram higienizadas como deveriam.

A veterinária Jéssica Raissa Garcia, 28 anos, pós-graduada em clínica médica e cirúrgica de pequenos animais, ressalta que a “toxoplasmose não é a doença do gato, isso é um grande mito, porque o gato não é o vilão como muitos dizem. O perigo mesmo é o protozoário que está nas fezes do animalzinho. Então a pessoa tendo higiene, não comendo carne crua, lavando bem as verduras e os legumes quando for se alimentar, não corre risco nenhum”.

É importante também ter cuidado com a manipulação da caixinha de areia do animal, após higienizar a caixa de areia, lavar bem as mãos, principalmente se for fazer alguma alimentação, porque o perigo maior é o contato direto com as fezes do gato.

Confira também dicas de como manter um bom convívio com o seu felino durante a gravidez e nos primeiros dias de vida do seu bebê

Durante a gravidez: É importante lembrar que o convívio com o animal seja o mesmo, uma vez que você não vai adquirir a doença tendo contato com o seu gato. Tratar da mesma forma é essencial.

Após o nascimento do bebê: Cada animalzinho reage de uma forma. Às vezes ele pode estranhar a presença de uma pessoa nova na casa, se esconder, ficar mais acuado, mas não se assuste. Com o tempo ele vai se acostumar e a convivência será a melhor possível. Por isso é importante dar muita atenção e cuidado para o animal nesta fase tão importante.

Por Isabela MARTINS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS