Gás de cozinha terá aumento e revendedor planeja estratégias para venda não despencar

Foto: Cláudio Lahos

Após aprovação do reajuste do gás de cozinha, revendedoras de Rio Preto planejam formas de atrair clientes para não despencar as vendas. Petrobras elevará, em média, em 3,4% os preços do gás. O último reajuste anunciado pela estatal foi em fevereiro, quando os preços subiram cerca de 1%.

“Quando tem os reajustes, as pessoas compram e estocam. Então a demanda cai e as situações acontecem em forma de reação em cadeia, ou seja, a demanda cai, nós não compramos da companhia e a companhia não compra da Petrobras. Com essa reação a tendência é eles recuarem também. Vai custar, aproximadamente, R$ 80. Tentamos fazer promoções com brindes para atrair o cliente e cativar”, explica o proprietário de uma distribuidora, Rogério César da Silva.

Atualmente, em Rio Preto, a média do dos valores de gás varia entre R$ 60 e R$ 75. O aposentado Aparecido Pedro Luciano não gostou de saber que terá que desembolsar a mais. “Esse aumento não é justo. A aposentadoria não é nem R$ 1 mil e eles ficam aumentando os valores. Isso vai até quando? Nos mercados dá até medo de fazer compras. A energia é cara e o gás também”, disse.

O revendedor ponderou que “quando anuncia que terá o reajuste a venda já aumenta bastante, hoje, quando a pessoa pede o botijão de gás, o entregador já troca, então quando está próximo ao aumento as pessoas colocam de reserva o gás. Então percebe-se que não é urgência, após o aumento as vendas caem durante 15 dias as vendas. Após esse período, geralmente, começa a abaixar aos poucos, mas nunca volta ao preço anterior”.

Por Mariane DIAS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS