Catanduva: Gaeco faz operação contra fraudes em licitação em órgão público

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) realiza nesta quinta-feira (14) a operação “Arquivos deslizantes” que investiga organização criminosa voltada à prática de fraudes em licitações nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

As fraudes ocorreram em diversos órgãos públicos, principalmente, nas Câmaras de Vereadores, entre os envolvidos está um vereador de Catanduva. Ao todo serão cumpridos 50 mandados, sendo 28 de busca e apreensão e 22 de prisão temporária. Nas regiões de São José do Rio Preto, Piracicaba, Campinas, ABC e Franca. Participam da operação 23 promotores de Justiça e cerca de 90 policiais militares e civis.

A operação decorre de investigação iniciada no ano de 2015 e conduzida pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – GAECO – Núcleo de Piracicaba, órgão do Ministério Público do Estado de São Paulo, e tem por foco licitações para compra de módulos de arquivos deslizantes por Prefeituras e Câmaras Municipais de diversos municípios nos referidos Estados.

Ao longo da investigação foi apurado que 15 empresas de várias regiões do Estado de São Paulo, Minas Gerais e de Pernambuco, todas com atuação no ramo de arquivos deslizantes (fabricação, comercialização, representação comercial), estavam envolvidas no esquema, sendo que seus sócios/representantes possuem comprovada vinculação entre si e participavam de licitações simulando concorrência que não existia.

Em vários casos há demonstração inequívoca da participação de agentes públicos, os quais não só sabiam dos ajustes entre as empresas, mas agiam de modo a preparar editais e seus anexos para que os objetos licitados fossem direcionados às empresas do grupo.

Foram identificadas mais de 70 licitações fraudadas pelo grupo em todas as regiões as que somadas geraram prejuízos aos cofres públicos de mais de R$ 8 milhões.

Entre os investigados estão servidores públicos de diversos órgãos, um vereador, empresários e assessores legislativos. Após as operações desta manhã na data, as investigações prosseguirão para apurar outros casos, em especial os inúmeros crimes praticados pela organização criminosa nas diversas cidades onde atuaram.

Da redação.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS