GAECO mira transportes de presos de Araçatuba e prende advogada de Mirassol

Quatro pessoas foram presas, suspeitas de participarem de um esquema de corrupção envolvendo transferência de detentos do sistema prisional, na madrugada de quinta-feira (12), durante uma operação do Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em Araçatuba e Mirassol.

Seis promotores, agentes da Secretaria de Segurança Pública e 25 policiais cumpriram sete mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão preventiva, que foram expedidos pela Justiça. Entre os presos, estão o diretor do Centro de Ressocialização de Araçatuba, José Antônio Rodrigues Filho, uma advogada de Mirassol, um agente penitenciário e o filho dele.

De acordo com o Ministério Público, o agente penitenciário já estava preso desde o início das investigações. O filho dele foi preso por tráfico, com 10 quilos de drogas e uma arma de fogo.

A identidade da advogada presa em Mirassol ainda não foi divulgada. Segundo a investigação do MP, agentes penitenciários cobravam propina para fazer a transferência de presos de outras unidades para o Centro de Ressocialização de Araçatuba, considerada modelo no sistema prisional.

Em nota, a Secretaria da Administração Penitenciária informou que o Núcleo de Inteligência da SAP e a Policia Militar cooperaram com a operação do Gaeco Araçatuba.

Os servidores envolvidos no caso responderão a processo administrativo sujeitos a demissão a bem do serviço público sem prejuízo do inquérito policial. A Secretaria ressalta ainda que repudia tal comportamento que não representa o corpo funcional e as diretrizes da Pasta.

Por Bia MENEGILDO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS