Furtos caem 36% durante pandemia em Rio Preto

O número de furtos registrados em Rio Preto caiu 36.3% entre março e junho deste ano em relação ao mesmo período de 2019. É o que aponta o balanço da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP).

Enquanto durante o período de pandemia foram 1.268 casos, ano passado, no quadrimestre, houve 723 furtos a mais, somando-se 1.991 ocorrências.

Dhoje Interior

A Polícia Militar informa que atua com duas premissas: uma com a prevenção do crime, para evitar que ele ocorra e, em um segundo momento, a repressão imediata, ou seja, dar uma resposta rápida e adequada à comunidade.

“Com o isolamento social, a população está mais em casa, nas suas residências, mas os comércios e empresas ficam mais desprotegidos nos dias em que permanecem fechados”, afirmou o tenente Claudio Luciano Ziroldo.

Segundo ele, por isso, neste ano, a PM adotou estratégias focadas no combate a furtos, com orientação direta para que as rondas tivessem especial atenção a empresas e comércio em geral.

“É um trabalho desenvolvido por toda a Polícia Militar de Rio Preto e região, que podemos comprovar nos índices de redução desses crimes”.

Ainda segundo o tenente, medidas de proteção adotadas pelos proprietários também podem evitar o furto de imóveis. “Mesmo com as trancas, hoje em dia, os ladrões acabam conseguindo abrir. A instalação de um alarme sonoro pode facilitar, caso alguém tente invadir, um vizinho pode acionar a PM”, fala.

Pequenos delitos

Tido como crime de menor potencial ofensivo, casos de furtos muitas vezes estão relacionados ao consumo de drogas. Na segunda-feira (10), um jovem de 22 anos foi preso pela Polícia Militar após furtar uma mercearia, no bairro João Paulo II. Ele alegou que usou o dinheiro para comprar crack. Levado à Central de Flagrantes, o delegado de plantão decidiu liberá-lo.

“Como se verifica na versão apresentada pelos policiais militares, o conduzido teria subtraído para si coisa alheia móvel consistente na quantia de R$ 20. O conduzido não agiu com violência ou grave ameaça, pois se prevaleceu de um descuido da funcionária do estabelecimento comercial e teria utilizado o dinheiro para comprar um maço de cigarros e crack para consumir o que mostra ser a questão mais de saúde pública do que de segurança”, cita o boletim de ocorrência.

Segundo o boletim de ocorrência, o ladrão aproveitou o descuido da dona do estabelecimento e pegou o dinheiro que estava no caixa, aproximadamente R$ 120.

A PM foi acionada e localizou o jovem em uma mata no bairro João Paulo II. Com ele foram apreendidas duas pedras de crack e um maço de cigarro. Ele confessou o furto e disse que com o dinheiro comprou a droga e o tabaco.

Registrado como furto, o caso foi encaminhado ao 3º Distrito Policial para eventual instauração de inquérito.

Tatiana PIRES – Redação Jornal DHoje Interior