Furto de hidrômetros dispara e gera prejuízos para moradores em Rio Preto

Foto Divulgação

O número de casos de furto de hidrômetros em São José do Rio Preto aumentou neste ano e está gerando prejuízos para moradores, que precisam pagar algo em torno de R$ 112 por um novo equipamento e a instalação

O número de casos de furto de hidrômetros em São José do Rio Preto aumentou neste ano e está gerando prejuízos para moradores, que precisam pagar algo em torno de R$ 112 por um novo equipamento e a instalação.

Segundo dados destinados pelo SeMAE (Serviço Municipal de Água e Esgoto), nos oito primeiros meses deste ano foram furtados 226 hidrômetros, ou seja, cinco vezes a mais registrado no mesmo período do ano passado: 40.

O hidrômetro, que mede o consumo de água nas casas e nos estabelecimentos comerciais, se torna alvo de furtos por um único motivo: o latão que reveste o equipamento é um material facilmente vendido e isso desperta o interesse dos criminosos e são vendidos em ferros-velhos. Como os equipamentos precisam ficar em locais visíveis para leitura, torna presa fácil para ação dos ladrões.

A dona de casa Maria Elvira Ferreira Plazas tomou um susto na manha da última sexta-feira (28). Ao acordar, ela detectou a falta da água e viu sua calçada molhada no bairro Jardim Soraia. A partir daí, a dona de casa percebeu o furto do hidrômetro. “A ação ocorreu pela madrugada, pois quando fui dormir estava tudo normal. Percebi que minha calçada estava molhada e foi aí que detectei a falta do equipamento. Fica esse transtorno para resolver e o prejuízo para comprar um novo hidrômetro”, disse Maria Elvira. Para não ficar sem água, um adaptador foi colocado no lugar até a instalação do equipamento.
De acordo com o SeMAE, quando houver o furto do medidor da residência, o usuário/morador deve realizar o boletim de ocorrência para que não seja cobrada a intervenção do ramal ao consumidor e apresentar o B.O em um dos postos de atendimento da Autarquia.

Outro furto de hidrômetro aconteceu em uma chácara localizada na Estância Jockey Club, no dia 8 de setembro. A escrevente Neusa Hissae Murai teve não apenas prejuízo com o equipamento que mede o consumo de água, como também, teve prejuízo com fiação de energia de sua residência. “Tive prejuízo não apenas com o furto do hidrômetro, mas também, fios e cabos elétricos instalados na residência também foram furtados”, diz Murai.
Uma recomendação para coibir a ação dos criminosos é a instalação da caixa padrão de hidrômetro, no valor de R$ 580. Ela dificulta o furto e assegura o direito de um novo equipamento em caso de um novo furto. Conteúdo especial: Vinícius MAIA

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS