Funcionários dos Correios entram em greve

Funcionários dos Correios paralisaram as atividades nesta quarta-feira, dia 10

Os funcionários dos Correios de Rio Preto e de algumas cidades da região começaram uma greve por tempo indeterminado na manhã desta quarta-feira, dia 11. A greve foi decretada na noite desta terça-feira, dia 10, em uma assembleia.

De acordo com o secretário geral do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios, Telégrafos e Similares de Rio Preto e região (Sintect-SP), a paralisação em Rio Preto teve adesão de 50% dos colaboradores, cerca de 200 dos 400 funcionários. Em toda a região, cerca de mil trabalhadores aderiram a greve.

A categoria que impedir a redução dos salários e de benefícios, e é contra a transferência da estatal para a iniciativa privada. No mês passado, a empresa foi incluída no programa de privatizações do governo Jair Bolsonaro.

O reajuste salarial com reposição da inflação do período é um dos principais pontos reivindicados pela categoria. Porém, os trabalhadores querem também a reconsideração quanto a retirada de pais e mães do plano de saúde, melhores condições de trabalho e outros benefícios.

A data base dos funcionários dos Correios é em julho e que foram esgotadas todas as tentativas para um acordo, por isso, os decidiram aderir a paralisação. Sindicatos de pelo menos 20 estados brasileiros e do Distrito Federal entraram em greve.

A direção dos Correios disse por meio de nota que participou de 10 encontros com os representantes dos trabalhadores para apresentar propostas dentro das codições possíveis, ‘considerando o prejuízo acumulado na ordem de R$ 3 bilhões’.

A estatal informou ainda que o principal compromisso da direção é conferir à sociedade uma empresa sustentável. Por isso, conta com os empregados no trabalho de recuperação financeira da empresa e no atendimento à população.

Não foi divulgado nenhum balanço sobre os impactos da greve, porém, o secretário geral do Sintect-SP de Rio Preto disse que os prejuízos devem começar a ser sentidos na semana que vem.

Vinicius LOPES

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS