“Foi um grande sofrimento”, afirma diretor da Funfarme após alta

O diretor da Funfarme, Jorge Fares, se manifestou pela primeira vez desde que foi diagnosticado com Covid-19 nesta terça-feira (11) em sua residência, onde se recupera. O médico ficou mais de 40 dias internado na UTI do Hospital de Base e recebeu alta no dia 31 de julho.

“Foi um grande sofrimento, sem dúvida, principalmente pra quem é médico e sabe o que poderia acontecer. Além da gravidade do quadro, a morte estava próxima. Eu tive várias complicações da doença, foi um quadro muito grave, mas graças a Deus e o trabalho dos profissionais do Hospital de Base eu consegui sair”, comentou.

Dhoje Interior

Diagnosticado com o novo coronavírus em 18 de junho, Fares foi afastado de suas funções na Funfarme. No dia 20 de junho, ele foi levado para UTI, onde recebeu intubação orotraqueal. Em 23 de julho, Fares havia recebido alta, mas acabou voltando para o hospital após sentir um desconforto respiratório em sua casa. A alta hospitalar veio oito dias depois.

“A gravidade disso é muito grande, seja pela falta de ar,  o sofrimento da pessoa isolada na UTI, sem família e distante de tudo. Além do risco da morte, tem há todos esses fatores. A perda de peso é muito significativa, a pessoa se consome, não consegue fazer nada. A canseira é progressiva, a entubação, os medicamentos cada vez piores, é preciso chamar atenção da população para gravidade dessa doença”, comentou.

Atualmente o Hospital de Base conta com 237 pacientes internados com Covid-19, sendo 126 na enfermaria e 111 na UTI. No Hospital da Criança e Maternidade (HCM) são cinco internações, sendo quatro na enfermaria e uma na UTI.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior