Fim de semana é marcado por morte e tortura contra mulheres

rio preto e região - Graziele Martins, 36 anos, (foto da esquerda) foi morta pelo ex-companheiro, em Icém; Ao lado direito, a porta arrombada da jovem que foi torturada, abusada e agredida pelo namorado

Uma técnica de enfermagem, de 26 anos, foi abusada sexualmente e torturada pelo próprio namorado que utilizou um cigarro para queimá-la. O crime aconteceu, na madrugada do último domingo, no bairro São Manoel, em Rio Preto.

O agressor C.C.D.S. invadiu o apartamento de C.M.S.S. por desconfiar de uma suposta traição. O imóvel estava vazio, porém, o rapaz aguardou a chegada da vítima. “A gente acredita que quando outro morador acionou para sair, ele estava por perto e entrou ao ver o portão aberto. Ele subiu, esperou minha filha chegar, dormiu em um colchão que estava aqui sala, quando ela entrou começaram as agressões, porque ele queria saber onde ela estava”, conta a mãe da vítima, Silvana Maria Souza de Silva.

O jovem começou a agredir verbalmente a namorado e minutos depois começou com as agressões físicas. Durante a briga, o rapaz dizia que a jovem havia saído com outro homem. “Ele puxou muito o cabelo dela, deixou vários hematomas no rosto, colocou dois dedos na vagina dela para ver se ela teve relação com alguém. Ela pedia para que ele parasse, mas ele queria saber onde ela estava”, explica a mãe.

A vítima está em Rio Preto há nove meses a trabalho, atualmente desempenha o cargo de técnica de enfermagem, no Hospital de Base e estuda enfermagem. “Somos de Jales, ela trabalha e estuda em Rio Preto. Não sei se terá como ela continuar no apartamento depois de tudo isso”, lamenta a Silvana Maria Souza de Silva.

A vítima contou que teve suas roupas rasgadas e que foi queimada com um cigarro, sendo forçada a falar com quem estava, pois o agressor acreditava que havia sido traído. “Ele acendeu o cigarro, ficou batendo no braço dela e apagou o cigarro na perna dela. Depois disso, ele saiu dizendo que estava arrependido e levou minha filha até a UPA”, afirma a mãe.

O rapaz levou a namorada até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Tangará, mas fez ameaças durante o caminho se caso fosse denunciado. “Ele ficou com ela o tempo todo, quando ela foi assinar ficha médica escreveu em baixo, chame a polícia porque foi ele que me bateu, nesta hora o funcionário viu chamou a assistente social e em seguida o guarda municipal que pegou ele”, conta a mãe.

Silvana Maria Souza de Silva afirma que o relacionamento da filha era de apenas três meses e que por já ter percebido o jeito do agressor a jovem não queria continuar no namoro, porém, C.C.D.S. não aceitava o término.

O criminoso foi preso em flagrante e responderá por de lesão corporal, estupro e tortura. De acordo com a delegada que investiga o caso, Dálice Aparecida Ceron, em situações similares é preciso denunciar e sempre estar alerta as atitudes do companheiro. “A gente entende como uma violência doméstica embora o curto tempo. O conselho que dou é que pessoa antes de dar seriedade ao relacionamento converse mais com a pessoa e veja como são os reflexos das atitudes. Nos casos de agressões sempre denunciar e procurar os direitos de medida protetiva”, conta Ceron.

Outro caso
Um homem foi preso após matar a ex-mulher com um golpe de faca, na tarde deste domingo, em Icém.

De acordo com o delegado Antônio Honório do Nascimento, o autor do crime Jaime Pereira Lima, de 38 anos, foi até a casa onde a ex-esposa morava com os pais. “O padrasto da vítima foi até a casa do irmão do Jaime, lá eles faziam um churrasco, e disse que era para ele buscar o cachorro que estava em sua residência”, explica o delegado.

Na ida à casa do ex-sogro, para buscar o animal, Jaime teve um desentendimento com a ex-mulher e desferiu um golpe de faca no peito. Durante o crime, os pais da vítima ao tentar conter o agressor também foram esfaqueados. Graziele Aparecida Camargo Martins de 36 anos, não resistiu ao ferimento e morreu no local. Os pais da vítima, de 68 e 88 anos foram levados ao Pronto Socorro da cidade e liberados.

O criminoso tentou se esconder em uma área rural de Icém, mas foi localizado e preso em flagrante. “Ele vai responder por duas tentativas de homicídio e um homicídio consumado”, conta ao delegado.

Jaime Pereira Lima havia se separado de Graziele há um ano. “No ano passado ele começou a ameaçar a vítima, foi feito um inquérito e solicitada a medida protetiva à vítima”, explica o delegado. O assassino foi transferido para a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Rio Preto, ainda na tarde desta segunda-feira (8), será ouvido durante Audiência de Custódia.

Graziele foi sepultada, na tarde de ontem, no cemitério municipal de Icém.

 

Por Mariane Dias

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS