Festival Perfídia começa nesta quinta-feira (10) em Rio Preto

Arte e tecnologia fazem a combinação do PERFÍDIA – Festival de Performances e Novas Mídias, que começa nesta quinta-feira, 10 de agosto, e que tem parceria com a Secretaria de Cultura de São José do Rio Preto, e segue até o próximo domingo, 13 de agosto, com apresentações e atividades formativas gratuitas em vários pontos da cidade.

O PERFÍDIA é uma realização do coletivo Agrupamento Andar 7, de São Paulo, com patrocínio da Caixa e apoio da Secretaria Municipal de Cultura, e tem como foco coletivos e artistas que desenvolvem criações artísticas, envolvendo diferentes linguagens e travando um diálogo direto com tecnologias digitais.

A programação do festival, concebida a partir de curadoria feita pelos artistas Luciana Ramin e Otávio Oscar, envolve 15 apresentações, três palestras, três oficinas e uma mostra de videoperformances. São 35 artistas e coletivos de vários Estados brasileiros e um artista do Equador.

O primeiro dia do PERFÍDIA, nesta quinta-feira, 10 de agosto, começa com a exibição da mostra de viodeperformances no escritório de arte Casa de Criar. A mostra envolve 12 trabalhos de diversas partes do País. Ao longo do festival, a mostra circulará pelo Barteliê Gastrô, Casa de Cultura Dinorath do Valle e Centro Cultural Vasco.

A programação desta quinta, 10 de agosto, segue à noite, com as atrações concentradas no Teatro Municipal Humberto Sinibaldi Neto. A partir das 19h, na parte externa, o público poderá interagir com a videoinstalação Retinamérica, do Agrupamento Andar 7. As pessoas poderão vivenciar a experiência de VJ (vídeo-jockey) manipulando combinações de imagens exibidas numa das paredes do Teatro Municipal.

A abertura oficial será feita no Municipal às 20h30, seguida da apresentação do espetáculo Euterpe, criação colaborativa feita exclusivamente para o PERFÍDIA que envolve o pianista paulistano Luis Fernando Cirne, o dançarino rio-pretense Junior Lima e o Agrupamento Andar 7. Na apresentação, música, dança e vídeo relacionam-se na composição da obra.

Após a apresentação, no hall do Municipal, haverá a performance Humalteridade, da artista Vanessa Cornélio, de Rio Preto, que utiliza o corpo como plataforma para a reflexão como a alteridade.

O primeiro dia do PERFÍDIA ainda será marcado por uma festa de abertura, a partir das 23h, no Barteliê Gastrô. Além da mostra de videoperformances, haverá apresentação dos DJs Pedro Progresso e Harlen Félix, além da duo DJ&VJ Lady Darling. Somente para a festa de abertura haverá cobrança de ingresso, sendo o número de público limitado a 80 pessoas.

A programação completa do PERFÍDIA – Festival de Performances e Novas Mídias está disponível no site www.plataformaperfidia.com. Veja abaixo a programação do festival nesta quinta-feira, 10 de agosto:

 

QUINTA | 10 DE AGOSTO

15h às 19h

Exibição

VIDEOPERFORMANCES

Casa de Criar

Entrada Gratuita

Classificação Indicativa: 18 anos

 

19h

Vídeoinstalação interativa

Retinamérica

[Agrupamento Andar7]

Praça Cacilda Becker

Sinopse: Vídeoinstalação interativa onde o público é co-criador da obra, manipulando imagens, reconstruindo-as e alterando-as em milhões de combinações visuais em tempo real, como um VJ (video-jockey). As  imagens são iconografias dos países da América latina, embaladas por trechos de músicas populares e folclóricas.

 

20h30

Cerimônia de Abertura

Teatro Municipal

 

21h

Espetáculo de Abertura

Euterpe

[Luis Fernando Cirne (São Paulo-SP), Júnior Lima (São José do Rio Preto-SP) e Agrupamento Andar7]

Teatro Municipal

Sinopse: Produzido pelo Festival Perfídia através do #perfidiaCOLAB, o espetáculo é um recital de piano aliado a projeção de vídeo e dança, uma criação colaborativa entre o pianista Luis Fernando Cirne (São Paulo-SP) e o Agrupamento Andar7  com o dançarino Júnior Lima (São José do Rio Preto-SP) e os vídeo artistas Luciana Ramin e Gabriel Diaz Regañon. O programa musical envolve composições de Frederic Mompou (Catalunha), Domenico Scarlatti (Itália), Felix Mendelssohn (Alemanha) e Heitor Villa-Lobos (Brasil).

Entrada: Gratuita. Ingressos distribuídos na bilheteria a partir das 20h, no próprio dia. 386 lugares.

Ficha técnica: Piano: Luis Fernando Cirne; Dança: Júnior Lima; Direção e visuais: Luciana Ramin; Desenho de tecnologias visuais Gabriel Diaz Regañon Produção: Otávio Oscar; Realização: Festival Perfídia.

Duração: 40 minutos.

Classificação Indicativa: Livre.

 

21h40

Intervenção

Humalteridade

[Vanessa Cornélio | Asa de Borboleta Performance Art – São José do Rio Preto-SP]

Hall do Teatro Municipal

Sinopse: Humalteridade pesquisa as construções do corpo cênico performático, inserindo-o numa perspectiva da Alteridade. Quer provocar o espectador usando, como fio condutor, a noção da realidade do distinto, abordando o “estranho”, enquanto percorre a fronteira cartográfica corpórea.

Artista: O projeto Asa de Borboleta é fruto das inquietações e iniciativa da atriz/performer Vanessa Cornélio, destinado à pesquisa da Performance Art, e fortemente ligado às artes plásticas, arte e vida real, arte e psicologia, política e estética. O projeto quer servir de combustível à reflexão crítica dos elementos do cotidiano, velados ou não, a partir dessa experiência provocativa do corpo limitado pela dificuldade de locomoção.

Ficha técnica: Pesquisa/Performer: Vanessa Cornélio; Ass. Técnica: Cássio Henrique.

Duração: 20 minutos

Classificação Indicativa: Livre

23h

Festa de Abertura do Festival Perfídia

Barteliê

DJ Pedro Progresso aka #ExóticaDasArtes  – DJ Residente do Festival Perfídia (São Paulo-SP) |DJ&VJ Lady Darling (São Paulo-SP) | DJ Harlen Felix (DJ residente do Barteliê)

Entrada: R$ 5.

Ingressos: Venda antecipada no Barteliê.

Entrada sujeita à lotação. 80 lugares.

Somente para maiores de 18 anos, obrigatória a apresentação de documento com foto.

[DJ Pedro Progresso aka #ExóticaDasArtes – DJ Residente do Festival Perfídia – São Paulo-SP]

Apresenta sua residência sonora entre atos durante o festival. Um percurso pós tropicalista pela canção brasileira e antropofágico na música do mundo.

[DJ & VJ Lady Darling – São Paulo-SP]

O duo Lady Darling, formado por Luciana Ramin e Otávio Oscar, mostra um recorte de músicas e imagens do universo tropical urbano sob a insurgência de cores e formas encontradas nos trópicos – e dos utópicos. Vai do sem freios da década de 1980 ao batecool que faz descer até o chão.

[DJ Harlen Félix – DJ residente do Barteliê – São José do Rio Preto-SP]

O jornalista, ator, agitador cultural e blogueiro passeia por diferentes gêneros e décadas da música popular brasileira. Variações sobre o pop, o rock, a disco e a indie.

Da REDAÇÃO

 

SEM COMENTÁRIOS