Feirão da Caixa movimenta mais de R$ 87 milhões na cidade

O Feirão da Caixa terminou com um saldo de R$ 87 milhões em negociações, no último domingo, dia 28, em Rio Preto. As informações foram divulgadas pelo próprio banco, ontem. No total, foram 640 contratados que estão fechados ou em andamento para os próximos dias. Especialista afirma que os números são bons para a economia local.

De acordo com a Caixa, eram esperadas pelo menos 10 mil pessoas no evento que aconteceu entre os dias 26 e 28 do mês passado.

Para o professor de economia Raphael Tavares Mantovani, esses números podem contribuir muito. “Apesar da expectativa de venda ter sido um pouco maior, temos a certeza que esses R$ 87 milhões vão ajudar na melhora economicamente da região, principalmente o município. Quando uma pessoa compra um imóvel, ela deixa de pagar aluguel, consequentemente acaba investindo para reformar a propriedade e, com isso, faz um giro de dinheiro principalmente na construção civil, tanto com a mão de obras e materiais”, afirma.
Por outro lado, ele afirma que é sempre importante economizar, ainda mais porque o país vive uma política instável. “Ninguém sabe como vai ser daqui um dia, um mês ou ano.

Acreditamos que só irá melhorar em 2018 e, por enquanto, a recomendação é para que as pessoas tenham consciência e não gastam com coisas supérfluas.”

Ele diz que o mais essencial para quem garantiu esse imóvel, é pagar as prestações em dia e, se possível, colocar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para quitar boa parte do imóvel.

No dia 23 de maio, o Sindicato da Habitação (Secovi) regional divulgou que nos últimos três anos a venda de imóveis em Rio Preto cresceu 30%.

A pesquisa mostra que de maio de 2013 a março de 2016, mais de 10 mil unidades foram lançadas, sendo que 8 mil já foram vendidas.

Para Alessandro Nadruz, diretor regional do Secovi, isso tem acontecido porque o município tem várias faculdades e muitas pessoas estão vindo morar aqui.

“Isso mostra que o número de estoque está baixo, ou seja, a demanda por compras é grande.”

Ele afirma que as unidades mais vendidas estão nas zonas Leste e Norte e os preços variam de R$ 150 mil a R$ 170 mil.

 

Por Franklin Catan

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS