Feira reúne mulheres que expõem trabalho e mostram independência

A Feira Independente das Mulheres Empreendedoras acontece neste domingo (21) das 10h às 20h na rua Joaquim Gonçalves Ledo, 18, Pq. Estoril e reunirá mulheres autônomas que vão expor seu trabalho à comunidade e vender sem pagar pelo espaço, apenas dividindo os gastos do dia.

A ideia nasceu do grupo de mulheres empreendedoras, que possui o mesmo nome da feira e pretende aos poucos se tornar uma associação. O grupo começou na última semana, mas a ideia surgiu em março, baseado em ideais feministas.

O primeiro fruto do grupo é a feira, que funcionará como uma vitrine para essas mulheres, que até quarta-feira eram 16 e hoje já somam 28, graças à divulgação pelo Facebook, Whatsapp “Descobrimos mulheres pelas redes sociais. Inclusive haverá mulheres de cidades da região, como Ipiguá e Bady Bassitt”, conta Raffaela Ferreira, uma das integrantes do grupo, que está desde a semana envolvida na preparação do evento e neste domingo venderá bebida no local.

Variedades e valorização

Feira Independente das Mulheres - Foto: Divulgação

A Feira vai contar com artesanato, artesanato afro, culinária vegana e vegetariana, pipoca, doces, bebidas, sete brechós, entre outras categorias. Flávia Andrade, 17, é uma das membras do grupo e vai participar vendendo doces e artesanatos. “A região precisa dessa ênfase no trabalho das mulheres, pois como nós, na maioria das vezes, trabalhamos fora e trabalhamos em casa, nosso trabalho de casa não é reconhecido e esse reconhecimento é importante”, afirma a estudante que venderá doces como brigadeiro de copo e artesanato em mdf, além de quadros e materiais recicláveis.

“A mulher muitas vezes faz um trabalho no fundo de casa e não tem visibilidade. Então queremos dar visibilidade a este trabalho” conta Raffaela. “A ideia é acreditar no projeto e quem sabe daqui um ano ter um espaço próprio. Às vezes, a empreendedora não tem o que dar agora, mas pode oferecer um produto que servirá para o evento”.

O espaço

O espaço que será utilizado sempre que precisarem é a casa da Michele Micha, grande incentivadora para que o evento acontecesse. “Após um evento no Shoppping Cidade Norte, onde expos em uma feira, ela ofereceu sua casa para local de exposição do trabalho de pelo menos 10 mulheres e assim nasceu o grupo”, relembra Raffaela.

O grupo tem um combinado. Não há uma líder. Todas trabalham da mesma forma e pelo menos uma vez por mês elas realizarão a feira, além das reuniões que devem continuar acontecendo quinzenalmente. “Fora isso, futuramente pensamos em trazer mulheres de outras cidades e estados para dar palestras e apoiar àquelas que não acreditam no seu trabalho porque o grande problema é a mulher que não confia no seu potencial. Esse é o trabalho de empoderamento”, conta também Raffaela.

 

Água liberada

No evento ninguém deve passar sede. A decisão de que ninguém poderá vender água foi geral. “Estamos armazenando galões com água potável desde o meio da semana para servir água na faixa durante a feira”, adianta a organizadora.

Da Redação

(Colaborou Arthur AVILA)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA