Fazer o bem sem olhar a quem

Foto Fernanda Martinazzi

E foi na manhã da sexta-feira (23) que o Hemocentro ganhou um colorido mais bonito, essa cor pode ser chamada de superação. O agente da Guarda Civil Municipal, Cleiton José da Silva Gomes, ferido no tiroteio do dia 15 de julho de 2017, foi doar sangue pela primeira vez após o assalto à joalheria

A verdadeira solidariedade começa quando não se espera nada em troca, já diz o ditado.
É com este sentimento que profissionais do Hemocentro de Rio Preto mobilizam a população para doação de sangue.

Com estoque abaixo, mais que o normal, o balanço de 60% na queda de doações assustou
os profissionais que temem a alta demanda e o baixo estoque. Durante toda a semana
atividades foram desenvolvidas pela entidade em homenagem ao Dia Nacional do Doador de Sangue, comemorado no próximo domingo (25).

E foi na manhã da sexta–feira (23) que o Hemocentro ganhou um colorido mais bonito,
essa cor pode ser chamada de superação. O agente da Guarda Civil Municipal, Cleiton
José da Silva Gomes, ferido no tiroteio do dia 15 de julho de 2017, foi doar sangue pela
primeira vez após o assalto à joalheria.

“É minha primeira doação, 1 ano e 4 meses após o ocorrido. Na época eu fui salvo, recebi
ajuda de várias pessoas que eu nem conhecia. Então é importante a gente poder ajudar
também, o incentivo maior é poder salvar uma vida”, afirmou o agente.

Cleiton recebeu durante seu tratamento aproximadamente 25 bolsas de sangue, um total
de 600 doadores. “ Somente no dia da cirurgia foram 23 bolsas de sangue que recebi,
depois disso mais duas. Na época fiquei surpreso com tamanha mobilização e solidariedade”, contou.

E com o gesto solidário, o agente convidou à população para o gesto. “O mais importante
é poder fazer o bem todos os dias, então quem tem condições de doar venha fazer este
gesto e sem dúvida vai estar salvando uma vida”, finalizou Gomes.

Queda do estoque no Hemocentro

Com a chegada das festas de fim de ano, o número de doações reduz no Hemocentro
para driblar a situação profissionais convidam à população a doar. “Nós precisamos estar
com nosso estoque abastecido para atender a demanda de fim de ano que é mais complicada, porque acontecem mais acidentes e o normal que já temos que são cirurgias eletivas, cirurgias de emergência, pacientes crônicos, ou seja, temos um aumento na procura e uma diminuição no número de doadores devido as pessoas já estarem em
ritmo de férias”, explica a coordenadora da Captação da entidade, Bárbara Cabrera Esteves.

De acordo com a profissional este ano, a queda das doações está mais expressiva. “A gente não sabe atrelar o que motivou esta queda. Mas uma coisa que é fato, está aumentando o consumo de sangue. As doenças estão cada vez mais presentes,
teve o aumento das cirurgias e transplantes do Hospital de Base diferença”, afirmou.
Para fazer a doação é preciso boa saúde e pesar acima de 50kg. “Os requisitos básicos são
ter entre 16 a 69 anos, pesar acima de 50kg, estar alimentado, não ingerir bebida alcoólica
por 12 horas e estar em boas condições de saúde”, finalizou Esteves.

O Hemocentro de Rio Preto fica na avenida Av. Jamil Feres Kfouri, Nº 80,  Jardim Panorama.

 

Por Mariane Dias

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS