Faxina urbana começou hoje em Rio Preto pelo Nova Esperança

GUILHERME BATISTA/DHOJE - 03/01/18: Prefeito Edinho e secretários já iniciaram nesta quarta uma força tarefa de limpeza em vários pontos de Rio Preto.

Uma cena que já se banalizou entre quem vive na cidade de Rio Preto é a quantidade de lixo pelas ruas, avenidas, calçadas e terrenos baldios, em diversos bairros. Sofá velho, pedaços do que antes era um guarda-louças de madeira, além de cacos de tijolos, são descartados de forma errada pela maioria das pessoas, que sem um local adequado para o descarte acabam descartando a poucos metros de suas casas.

Esses são apenas um dos problemas que o mutirão da limpeza iniciado na manhã de céu acinzentado e garoa fina, que caiu nesta quarta-feira (03). O foco da ação inaugurada com a presença do prefeito Edinho Araújo (PMDB), por volta das 10h30 no conjunto habitacional Nova Esperança, é a roçada do mato alto e também a retirada de entulhos, um atrativo para os escorpiões e a proliferação do mosquito da dengue.

Durante abertura da faxina urbana que vai se estender pelas redondezas da cidade, Edinho junto a secretária Fabiana Zanquetta (Habitação), Ulisses Ramalho, (Serviços Gerais), Kátia Regina (Meio Ambiente) e Abner (Vigilância Ambiental), percorreram algumas ruas do bairro e acompanharam a limpeza de um terreno.

“Temos os pontos de apoio é lá que tem de ser feito descarte [lixo], existe um critério sobre o que pode ser colocado, você não pode misturar o lixo, não tínhamos um contrato e por isso fizemos este emergencial, não dá para esperar uma licitação normal”, disse o prefeito Edinho.

A reorganização urbana do município vai custar ao bolso do próprio contribuinte que deposita lixo em qualquer espaço, R$ 6 milhões. O loteamento vistoriado hoje que fica na região norte do munícipio, foi ocupado em 2011 através do programa Minha Casa Minha Vida, durante a gestão da ex-presidente Dilma Rousseff, cerca de 4.200 famílias vivem no local.

“Quando trabalhamos com a instalação de loteamentos, também tem a questão da pós ocupação, então as pessoas precisam apropriar-se do bairro, entender que elas são parte daquele local, que a rua é extensão do quintal de casa e não podem jogar entulhos”, comenta secretaria de habitação Fabiana Zanquetta.

Próximo bairro a receber o mutirão será o Parque da Cidadania, também na zona norte. A reportagem do DHOJE publicada no ano passado mostrou que após um mapeamento feito pela Secretaria da Saúde de Rio Preto, diversos focos de escorpiões e o mosquito Aedes aegypti foram localizados pela cidade. Só em 2017 haviam sido notificados 351 casos confirmados de picadas pelo aracnídeo.

“Por conta disso, até para evitar mortes, este sinal de alerta fez com que secretarias de Meio Ambiente, Vigilância e Saúde se unissem, estamos sempre analisando as ocorrências de ouvidoria como também os acidentes e direcionando trabalhos de limpeza para esses bairros prioritários”, contou o gerente ambiental Abner Alves.

Por pouco uma das duas filhas da dona de casa moradora do bairro Nova Esperança, Katia Oliveira, 38 anos, não foi atacada por um escorpião, bebê tinha acabado de tomar banho, quando a mãe retirou a criança do assento adaptado dentro do banheiro na residência, irmão mais velha que estava juntou, viu o animal debaixo do banco e alertou a mãe, “Um cuida, outro não, todo mundo precisa cuidar de seus quintais, se não o que a gente fazer”. Finalizou Katia.

Há três meses um sofá roxo foi deixado bem perto da residência onde mora outra dona de casa, Érika Eleutério, 34 anos, fora isso tem um vizinho que quando corta o mato alto na calçada, ao invés de jogar a sujeira no lixo, prefere colocar na sarjeta de casa, quando chove vai tudo para caixa de escoamento de água na avenida. “Não adianta, precisa mudar é a população, prefeitura faz a parte dela, mas os moradores também precisam fazer a sua; é a gente que vive aqui no bairro” relata Eleutério.

DA REPORTAGEM:

Colaborou: Guilherme Ramos.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS