Faturamento das MPEs cresce 3,9%

De acordo com pesquisa divulgada pelo Sebrae-SP, o faturamento das micro e pequenas empresas (MPEs) cresceu 3,9% no Estado de São Paulo. O valor mês deste ano foi de R$ 45,3 bilhões, ou seja, R$ 1,7 bilhão acima do apresentado um ano antes. A tendência é melhorar, diz gerente .

A situação econômica das micro e pequenas empresas (MPEs) paulistas começou a melhorar em 2017. No mês de janeiro, houve aumento de 3,9% no índice sobre o mesmo período do ano passado. Foi também o segundo crescimento consecutivo no indicador de valor das vendas de um mês ante igual mês do ano anterior, após 23 quedas seguidas, segundo a pesquisa Indicadores Sebrae-SP.

De acordo com os dados, a receita total das MPEs no primeiro mês deste ano foi de R$ 45,3 bilhões, ou seja, R$ 1,7 bilhão acima do apresentado um ano antes.

De acordo com Marcos José Amancio, gerente do Sebrae-SP, em Rio Preto, o resultado é considerado positivo para a economia. “O que tem acontecido é muito bom. Podemos dizer que existe uma perspectiva de melhora para os próximos meses, pois já tivemos um crescimento nos últimos [meses]”, fala.

Marcos também fala que é importante ter calma, porque apesar do desempenho positivo, é preciso considerar que o crescimento se deu sobre uma base fraca de comparação. “Janeiro de 2016 registrou o pior resultado em termos de índice de faturamento para os meses de janeiro desde o início da série, em 1998. Digamos que ainda é preciso ter muita cautela e ainda fazer a lição de casa com o faturamento.”

Segundo os números, o crescimento da receita aconteceu por conta do setor de serviços, que apresentou aumento de 14,1%, em janeiro, em relação ao mesmo mês de 2016. A indústria amargou queda de 6,2% na mesma comparação e o faturamento do comércio caiu 2% no período.

As MPEs da região metropolitana de São Paulo foram as que mostraram o melhor desempenho em janeiro deste ano ante o mesmo mês de 2016, com elevação de 8,1% no faturamento. No interior, aconteceu uma variação de -0,1% no período.

Outro fato positivo em janeiro, na comparação com o mesmo mês de 2016, foi a alta de 4,4% do rendimento dos empregados das MPEs paulistas, já descontada a inflação. No entanto, a folha total de salários diminuiu 2,3% no mesmo confronto e há menos gente ocupada: a parcela de pessoal ocupado ficou 1,4% menor no período.

Pesquisa aponta que empresários acreditam em melhora

A pesquisa ainda mostra que em fevereiro, 46% dos proprietários das MPEs disseram esperar manutenção do faturamento da empresa nos seis meses seguintes. Para 38%, haverá melhora na receita.

Os índices apontam que o nível de atividade econômica, 50% dos donos de MPEs aguardam estabilidade e 34% esperam melhora nos próximos seis meses, uma diferença sensível em relação aos 16% que esperavam avanço na economia em fevereiro de 2016.
O gerente do Sebrae de Rio Preto afirma que realmente vai acontecer a melhora. “É uma tendência por conta dos números anteriores.”

Em uma avaliação inédita do Sebrae-SP, 21,3% dos proprietários de MPEs falam que vão investir na empresa em 2017, 73,2% não pretendem fazê-lo e 5,5% não sabem se investirão ou não. Os índices dizem que dos que não querem investir, 41,7% afirmam que o motivo é a incerteza sobre a economia, 39,8% alegam falta de recursos e 18,2% informam que a estrutura atual atende suas necessidades.

 

Por Franklin Catan

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS