EUA tem nova política anti-imigração

BUROCRACIA - Novas regras poderão afastar estudantes e pesquisadores dos EUA

Agora, brasileiros também serão analisados pelo Departamento de Imigração dos Estados Unidos. As embaixadas norte-americanas poderão exigir as senhas de acesso a redes sociais dos solicitantes de visto de entrada nos EUA, com o objetivo de estabelecer controles ainda mais rígidos.

Todo cuidado é pouco com o que é postado nas redes sociais ou no conteúdo de conversas via WhatsApp quando o assunto é imigração.

Isso porque entrou em vigor, no dia 25 de maio, uma norma autoriza agentes da imigração a solicitarem o acesso às redes sociais dos últimos cinco anos. Além disso, o solicitante terá que reportar as últimas viagens feitas até 15 anos atrás.

As autoridades consulares e migratórias poderão requisitar ao solicitante, de qualquer visto, passaporte anteriores, cinco anos de dados de redes sociais, endereço de e-mail, últimos números de telefones utilizados, histórico de empregos e endereços de até quinze anos atrás.

De acordo com o advogado e professor de Direito Constitucional e Internacional, as novas resoluções fazem parte de um esforço para tornar ainda mais rígida a verificação de potenciais visitantes aos Estados Unidos.

“Acredito que possa desestimular estudantes e pesquisadores, já que as novas regras acabam atrasando um processo. Enquanto isso, o Brasil promulgou a nova Lei de Imigração com um princípio humanitário, sem nenhuma discriminação. Chamamos de princípio da reciprocidade, aquele do direito internacional, ou seja, com a exigência dos EUA, o Brasil poderia exigir o mesmo, o que não será feito. O alerta mesmo, com tanta burocracia é para que os usuários das mídias sociais tomem cuidado com todas as suas postagens, para que isso não atrapalhe duas viagens e estudos internacionais”, disse ele.

 

Por Jaqueline Barros

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS