EUA: olho do furacão Irma alcança ilhas ao sul da Flórida

O olho do furacão Irma, de categoria 3, atingiu a terra nas ilhas ao sul da Flórida, nos Estados Unidos. O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos em Miami disse que o centro do furacão atingiu a ilha de Cudjoe às 9h10 (horário local). Mais cedo, a parede norte do olho do furacão já havia chegado à cadeia de ilhas. A parede do olho é uma faixa de nuvens que cerca o olho do furacão com ventos intensos e fortes chuvas.
Os ventos sustentados são de 215 quilômetros por hora. Os meteorologistas dizem que uma rajada de 171 km/h foi relatada na ilha Big Pine.

O Centro Nacional de Furacões prevê que o núcleo do furacão Irma provavelmente vai atingir diretamente a altamente povoada região de Tampa e St.Petesburg, também na Flórida, depois de passar pelas ilhas.

O centro do furacão provavelmente alcançará Tampa por volta das 2h (horário local) na segunda-feira, mas ventos, chuvas e tornados devem ser observados nessa área muito antes disso.

Em Miami, a força dos ventos e as chuvas geradas pelo furacão já começaram a fazer estragos na manhã de hoje. Há ruas inundadas e árvores caídas. As ruas, totalmente vazias, são iluminadas pela intensidade dos raios e o forte vento se deixa notar nos edifícios da cidade, que recebem o impacto de objetos que saem voando devido às fortes sequências.

Em Miami Beach, a popular Collins Avenue também se viu inundada e se teme que os efeitos possam ser muitos piores à medida o furacão vá se aproximando e gere um possível aumento do nível do mar, o que afetaria as numerosas áreas costeiras da região.

As dimensões do Irma fazem com que os seus ventos com força de furacão se estendam até 130 quilômetros de seu centro e os de força de tempestade tropical sejam sentidos a até 350 quilômetros.

O furacão Irma deve seguir agora para Key West e passar por Marathon, cerca de 250 quilômetros de Miami. Uma tempestade tropical, com ventos de até 175 km/h, atinge a cidade e deve durar o dia todo.

A jornalista rio-pretense Amanda Barufi, que está visitando a cidade de Miami, relatou que os ventos ficaram mais fortes durante a madrugada. Os sinais de alertas começaram a soar por volta das quatro horas da manhã. “Todos os celulares recebem um alerta de informação com horário que o furacão irá passar. A mensagem orienta ainda a checar o local em que estamos e a área que será atingida”, disse a jornalista.
Segundo Amanda, ela está em um local seguro: “Estou bem segura no décimo sexto andar de um prédio de 45 andares, mas a avenida está completamente alagada. Aqui nós temos energia dos geradores, internet e água. A orientação do governo é para que ninguém saia de casa. Eu só estou com medo do barulho dos ventos, parece até que o prédio está balançando. As sirenes de alerta tocam periodicamente para alertar a população”, explicou.

Flórida tem mais de 1 milhão sem energia; acidente em área com chuvas mata dois
Funcionários do serviço público da Flórida dizem que mais de 1 milhão de residências ficaram sem energia. O olho do furacão Irma já atingiu as ilhas ao sul do Estado.
A Florida Power & Light Company disse que quase 1,1 milhão de clientes em todo o Estado estavam sem energia na manhã deste domingo (10). Cerca de 575 mil interrupções estavam no condado de Miami-Dade.

O olho do furacão já atingiu terra firme nas ilhas do sul da Flórida e deveria subir a costa do Golfo do Estado. Contudo, os efeitos do furacão estão sendo sentidos mesmo longe do centro por causa da força do Irma.

A Patrulha Rodoviária da Flórida disse que duas pessoas morreram em um acidente na manhã deste domingo (10) no condado de Hardeee, a sudeste de Tampa, que já foi atingido por vento e chuva provocados pelo furacão Irma, mesmo antes da passagem do olho do furacão pela região.

Não foi esclarecido o papel que as condições climáticas tiveram no acidente. A polícia está investigando o ocorrido e não divulgou outros detalhes.

 

 

 

 

 

Da Redação com informações da Agência Estado

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS