Rio Preto:Estudo da favela da Vila Itália deve ser apresentado hoje

Defensor - Julio Tanone apresentou, ontem, parecer sobre os moradores da favela

O prazo dado pela Defensoria Pública para que a Prefeitura de Rio Preto finalizasse o levantamento da situação das famílias da favela da Vila Itália, termina hoje. Depois de pedir prorrogação da data por três vezes, o estudo que deve revelar qual é o perfil dos moradores da favela e apontar saídas para acabar com os barracos, deverá ser apresentado.

No local vivem 236 famílias, dividas em 30 barracos. São mais de 500 pessoas vivendo de forma precária e desumana, segundo a Defensoria Pública. Agora, cabe ao prefeito Edinho Araújo, propor uma alternativa para os moradores do local.

Parte do terreno ocupado pelas famílias é propriedade privada e a outra é da Prefeitura. Os donos querem a reintegração de posse, mas os moradores alegam não ter para onde ir.
O defensor público Júlio Tanone, afirmou que pelo menos 60% das famílias da favela da Vila Itália não contam com assistência em programas de transferência de renda. “O que chama atenção é a extrema vulnerabilidade da comunidade. A maioria vive com um salário mínimo ou menos. Uma parcela declarou que não possui nenhuma renda. Identificamos que muitos que ali estão ocuparam aquele espaço por falta de emprego. A falta de renda pressionou as famílias irem para aquele local garantindo o mínimo para sobrevivência”, disse.
A Prefeitura deverá reunir a imprensa hoje, ainda em horário a ser definido, para a apresentação do documento.

Brejo Alegre
Outra favela instalada na cidade de Rio Preto, a do Brejo Alegre possui 56 barracos que abrigam cerca de 150 pessoas. Lá o cenário não é diferente.

Na última sexta-feira, dia 12, o Tribunal Regional Federal suspendeu por mais 60 dias a liminar de reintegração de posse da área. O recurso havia sido solicitado pela Depensoria Pública da União. Este prazo é para que a Rumo/ALL e a Prefeitura elaborem um plano de realocação das famílias que estão alojadas na favela.

 

Por Jaqueline Barros

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS